Falsa diarista

Presa diarista suspeita de furtar objetos de apartamentos de Goiânia

Rosimeire Cruz tem outras sete passagens pelo mesmo crime e já foi presa três vezes; caso é investigado pelo 4º DP de Goiânia


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 20/08/2019 às 12:06:50

Rosimeire se passava por diarista para furtar os pertences das vítimas (Foto: Divulgação / PC)
Rosimeire se passava por diarista para furtar os pertences das vítimas (Foto: Divulgação / PC)

A Polícia Civil (PC) cumpriu mandado de prisão contra Rosimeire Cruz da Silva, de 43 anos, investigada por se passar por diarista para furtar objetos de apartamentos da região do Setor Oeste, em Goiânia. A mulher é suspeita de ter furtado, pelo menos, outras oito residências na capital goiana. Rosimeire chegou a ser presa na última semana, mas teve de ser posta em liberdade três dias depois por ter se passado o tempo estipulado para realizar o flagrante (24h após a prática do delito).

Rosimeire é velha conhecida da Polícia, tendo sete passagens pelo mesmo crime. A falsa diarista chegou a ser presa outras três vezes. A mulher voltou a chamar a atenção da corporação no dia 29 de julho, ocasião em que furtou uma residência no Setor Oeste.

Caso é investigado pelo delegado Carlos Caetano, do 4º Distrito Policial (DP) de Goiânia.

Investigações

As investigações apontam que a mulher se colocou à disposição da vítima, que ofertou a vaga de emprego como diarista na internet. Na entrevista, a suspeita se apresentou como Rosane.

No primeiro dia de trabalho, a ela chegou por volta das 7h, mas afirmou que esqueceu a bolsa em casa e teria de sair para buscá-la. Depois de perceber que a suspeita não voltaria, a vítima notou o sumiço de joias e quadros da residência. Imagens de segurança registraram o momento da chegada da mulher no local.

(Foto: Divulgação / PC)

(Foto: Divulgação / PC)

Segundo o delegado, a polícia suspeitou que a autora era Rosimeire em razão da forma como o crime ocorreu. Depois de receber as imagens e comparar a aparência no cadastro da investigada pela corporação, a equipe confirmou a suspeita.

A mulher também é suspeita de cometer furto semelhante em fevereiro de 2017. À época, ela foi presa depois de furtar joias no valor de R$ 40 mil na residência em que iria atuar como doméstica.

*Thaynara Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira