Prefeituras do interior goiano endurecem medidas contra Covid-19

Número de casos ativos em cidades turísticas disparou. Prefeito de Goiânia analisa possibilidade de fechar atividades não essenciais

O aumento de casos de Covid-19 em Goiás tem levado cidades do interior a retomarem medidas mais severas de isolamento social (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)
O aumento de casos de Covid-19 em Goiás tem levado cidades do interior a retomarem medidas mais severas de isolamento social (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

O aumento de casos de Covid-19 em Goiás e elevação da taxa de ocupação nos leitos de UTI tem levado cidades do interior a retomarem medidas mais severas de isolamento social. Municípios como Alto Paraíso, Cidade de Goiás, Minaçu e Varjão já estão em estado de alerta e restringiram atividades não essenciais.

Apesar do número de casos ainda não ter aumentado nas estatísticas da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o número de notificações de síndrome respiratória aguda grave deixou de cair. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), esse indicativo pode antecipar um aumento no número de infecções registradas.

Em algumas cidades goianas, o número de casos já começou a subir, o que levou o poder público a restringir atividades. Em Alto Paraíso, por exemplo, os registros de contágios ativos saltaram de 14 no final de abril para 47 no final de maio.

Por este motivo, a prefeitura editou decreto que limita a lotação máxima de clientes em estabelecimentos comerciais, igrejas e na rede hoteleira. Além disso, as atividades culturais ficaram restritas a voz e violão e o consumo de bebidas alcóolicas só está permitido até às 22 horas.

Outros municípios

Na cidade de Goiás, o número de casos ativos no início do mês era de 28 e agora chegou a 143. Além disso, todos os leitos de UTI destinados a pacientes com Covid-19 foram ocupados na cidade. Por causa disso, a cidade decretou o fechamento de atividades não essenciais e estabeleceu toque de recolher.

As restrições não acontecem apenas em cidades turísticas. Municípios como Minaçu e Varjão também adotaram medidas mais severas.

Em Goiânia, o novo decreto publicado nesta terça-feira manteve a flexibilização de atividades não essenciais. Apesar disso, o prefeito Rogério Cruz admitiu a possibilidade de recuo por causa da variante indiana, que já chegou ao Brasil.

“Estamos analisando o momento. Sabemos a importância de cuidarmos da saúde da população. Caso seja necessário, faremos novas restrições”, disse o prefeito.

Restrições no judiciário

A preocupação com o aumento de casos também foi sentida no judiciário. Nesta terça-feira (25), o Tribunal Regional do Trabalho da 18º região (TRT-18) determinou a adoção de medidas mais restritivas de distanciamento social em cinco municípios goianos. A medida representa um recuo com relação à flexibilização adotada pelo tribunal no dia 10 de maio e foi assinada pelo desembargador Daniel Viana Júnior nesta terça-feira (25).

De acordo com o documento, os municípios de Aparecida de Goiânia, Goiânia, Inhumas, Jataí, Mineiros e Posse retornaram à etapa vermelha, a mais restritiva de todas. O ofício determinou ainda a flexibilização no município de Porangatu.

Com informações de O Popular