PARALISAÇÃO

Aulas na Grande Goiânia e Anápolis são suspensas por 15 dias

Medida atende determinação da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Prazo para redes de ensino se organizarem vai até a próxima quarta (18)


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 16/03/2020 às 10:06:49

Como medida preventiva contra o coronavírus, as aulas na Grande Goiânia e Anápolis foram suspensas por 15 dias. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
Como medida preventiva contra o coronavírus, as aulas na Grande Goiânia e Anápolis foram suspensas por 15 dias. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Como medida preventiva contra o coronavírus, as aulas na Grande Goiânia e Anápolis foram suspensas por 15 dias. Paralisação em Trindade Senador Canedo começou nesta segunda-feira (16). Suspensão das atividades na capital e em Aparecida tem início  terça-feira (17). Já em Anápolis a determinação começa a ser cumprida a partir da próxima quarta (18).

Os anúncios de suspensão foram feitos por meio de comunicado nas redes sociais das respectivas prefeituras após determinação do Governo Estadual neste domingo (15). Como expõe nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), paralisação deve ter duração de 15 dias “de preferência por meio da antecipação das férias escolares, em todos os níveis educacionais, públicos e privados”. Redes de ensino têm até quarta-feira (18) para se organizarem em atendimento à medida.

Assim, após o anúncio do poder estadual, a Prefeitura de Trindade decidiu interromper as aulas a partir desta segunda-feira (16) por período indeterminado. Além disso, todos os eventos públicos programados no município foram cancelados “enquanto medida preventiva em face do avanço do coronavírus no Brasil”. Medida também foi adotada em Senador Canedo, que deve paralisar as atividades por 15 dias.

As Prefeituras de Goiânia e Aparecida anunciaram, na manhã desta segunda (16), que a suspensão das aulas ocorre a partir de terça-feira (17). Já a Prefeitura de Anápolis informou que as aulas serão suspensas na próxima quarta-feira (18). Como medida preventiva, o prefeito Roberto do Órion anunciou que servidores municipais com mais de 60 anos serão liberados para trabalhar em casa. Ele prevê ainda a contratação de mais profissionais de saúde na cidade nos próximos dias.

Goiânia e Aparecida

A situação de aulas em Goiânia e Aparecida deve ser definida nesta segunda-feira (16). Ambas as prefeituras realizam reuniões nos respectivos municípios para definir as medidas a serem adotadas por cada ente administrativo. Por enquanto, as aulas nas duas cidades estão mantidas.

Em nota, Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino de Goiânia (SEPE-GO) informou que cumprirá as determinações da SES, mas que “as escolas não deixarão a comunidade desamparada”. As instituições devem ficar abertas a partir desta segunda-feira (16) com atividade atividades de planejamento, com professores, coordenadores e auxiliares. Aulas não serão ministradas.

Instituições de Ensino Superior como a Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Estadual de Goiás (UEG), pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), Faculdade Sul-Americana (Fasam), Faculdade Lions, Araguaia e Centro Universitário Alves de Farias (Alfa) já informaram que irão aderir à paralisação.

Casos confirmados

No último sábado (14), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou o quarto caso confirmado de coronavírus em Goiás. De acordo com a pasta, o mais recente paciente confirmado trata-se de um homem morador de Goiânia, que contraiu a doença após viagem ao exterior com a esposa também diagnosticada com covid-19.

Os outros pacientes confirmados são uma idosa de 61 anos, moradora de Rio Verde, que esteve recentemente na Espanha;  e duas moradoras de Goiânia, sendo uma de 38 anos, que viajou para Itália, e outra, com a mesma idade, que esteve nos Estados Unidos. Nenhuma das mulheres apresentou sintomas graves. Elas estão em isolamento domiciliar.

Até o último domingo (15), o número de casos suspeitos era de 85. Outros 49 já foram descartados. Não há confirmação de óbitos por coronavírus em Goiás.