Ton Paulo
Do Mais Goiás

Prefeitura fará visitas para comprovar dados fornecidos no Renda Família

Cadastro no benefício começou nesta segunda-feira (22) e as inscrições seguem até o dia 31 de março

Foto: Divulgação

Os indivíduos que se cadastrarem no benefício social Renda Família, lançado pela Prefeitura de Goiânia em auxílio a famílias em situação de vulnerabilidade na pandemia, e fornecerem dados considerados inconsistentes deverão receber uma visita de assistentes sociais para comprovar a validade das informações. O cadastro no benefício começou nesta segunda-feira (22) e as inscrições seguem até o dia 31 de março.

De acordo com a Secretaria de Finanças, para se cadastrar o membro da família deve acessar o site [clique aqui] e preencher corretamente com os dados solicitados. A pessoa precisa, também, assinar um termo declarando não possuir nenhum tipo de renda formal.

A pasta informou que, em posse dos cadastros, fará o devido cruzamento de dados. Os perfis que tiverem as informações validadas receberão o cartão do Renda Família no endereço informado no site. No entanto, caso a pasta encontre contradições, um assistente social será enviado à residência da família para verificar a veracidades das informações prestadas.

“Se tiver algum tipo de inconsistência ou dúvidas em algum dado que ela apresentou, a prefeitura vai in loco, por meio da Assistência Social. Mas é só em caso de dúvida”, destacou a assessoria da Secretaria.

Renda Família

Idealizado por Maguito Vilela, que faleceu em janeiro, e aplicado pelo prefeito Rogério Cruz (Republicanos), o Renda Família é o primeiro programa de transferência de renda da história de Goiânia. O objetivo é assistir com o valor mensal de R$ 300, por seis meses, cerca de 24 mil famílias sem renda e que residam em imóveis próprios, alugados ou cedidos com valor venal de até R$ 100 mil.

O benefício será concedido por meio de um cartão alimentação que só poderá ser utilizado em estabelecimentos comerciais de Goiânia. Não haverá possibilidade de saque do valor e a utilização do cartão será restrita a estabelecimentos comerciais da capital para aquisição de produtos alimentícios como arroz, feijão, macarrão, entre outros. O valor será creditado mensalmente, a cada 30 dias, tendo como referência a data do primeiro

Segundo a Secretaria de Finanças, o fornecimento dos cartões – assim como a data do pagamento do primeiro lote de deferidos – começa em 2 de março.