FolhaPress

Prefeitura de Campinas proíbe consumo de álcool em locais públicos

Proibição no consumo de bebida alcoólica vale 24 horas por dia

Foto: Reprodução

A partir desta sexta-feira (2), o consumo de bebida alcoólica em locais públicos estará proibido em Campinas (93 km de SP). A medida será publicada pela prefeitura, gestão Dário Saadi (Republicanos), no Diário Oficial do município e será válida enquanto a cidade permanecer na fase emergencial do Plano São Paulo de combate à Covid-19.

“Esta é mais uma ação para conter a propagação do coronavírus na cidade. A fiscalização ficará a cargo das autoridades sanitárias e de segurança, que já participam das ações realizadas em toda a cidade”, afirmou a prefeitura, por meio de nota.

De acordo com a administração municipal, a proibição no consumo de bebida alcoólica vale durante todo o dia, e não somente no período do toque de recolher, entre 20h e 5h.

Ainda segundo a prefeitura, a medida foi tomada em conjunto entre todos os 20 prefeitos dos municípios que integram a região metropolitana de Campinas. As demais cidades da região são Americana, Artur Nogueira, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Morungaba, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara d’Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

Nesta semana, Campinas atingiu 100% de ocupação nos leitos públicos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para o tratamento de pacientes com a Covid-19. A taxa permanecia em 100% na noite desta quarta-feira (31), segundo boletim divulgado na página oficial da prefeitura em uma rede social.

Até quarta, a cidade já tinha registrado 81.318 casos confirmados e 2.392 óbitos relacionados ao coronavírus.

Outras cidades Além de Campinas, outros municípios do estado também impuseram restrições relacionadas às bebidas alcoólicas. No ABC paulista, a venda foi proibida nesta semana, durante o megaferiado criado após a antecipação de feridos municipais.

Também na Grande São Paulo, Osasco e Guarulhos anunciaram medidas semelhantes. Em Osasco, a proibição vale até o próximo domingo (4) e afeta bares e supermercados. Em Guarulhos, a restrição é focada em lojas de conveniência. Segundo a prefeitura, gestão Gustavo Henric Costa, o Guti (PSD), o objetivo é tentar barrar a realização de festas clandestinas.

Em Jundiaí (58 km de SP), o prefeito Luiz Fernando Machado (PSDB), anunciou no dia 26 a proibição da venda de bebidas alcoólicas em todos os estabelecimentos do município. Nem mesmo os serviços de delivery foram autorizados a entregar esse tipo de produto.