COMBATE À CRISE

Prefeitura de Bela Vista vai pagar auxílio emergencial de R$ 300

Prefeitura calcula gasto aproximado de R$ 900 mil


Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás | Em: 08/01/2021 às 10:43:33

Prefeitura de Bela Vista vai pagar auxílio de R$ 300 (Foto: Agência Brasil)
Prefeitura de Bela Vista vai pagar auxílio de R$ 300 (Foto: Agência Brasil)

A prefeitura de Bela Vista de Goiás, na região metropolitanta de Goiânia, prepara projeto de lei para oferecer auxílio emergencial de R$ 300 por seis meses a 500 famílias consideradas vulneráveis do município. O documento está em elaboração final e deve ser encaminhado para a Câmara Municipal nas próximas semanas. A expectativa é que a medida seja aprovada no ínicio de fevereiro. A prefeitura calcula gasto aproximado de R$ 900 mil.

O auxílio emergencial foi uma promessa de campanha da prefeita Nárcia Kelly (PP), eleita com 55,25% dos votos válidos na eleição de 2020. Na ocasião, a progressista avaliou que a medida poderia minimizar os impactos gerados pela pandemia de covid-19.

“Na época, imaginávamos que neste ano a pandemia teria passado. No entanto, como vemos, a infecção continua, o que se faz ainda mais necessário o auxílio, já que os recursos mandados do governo federal aos municípios também cessaram”, diz a prefeita.

Nárcia Kelly nega qualquer animosidade com ex-prefeito Eurípedes

Prefeita de Bela Vista, Nárcia Kelly (Foto: Reprodução)

Cinco eixos

Com recursos R$ 900 mil em caixa da prefeitura, o auxílio foi planejado como um plano de recuperação da economia municipal com cinco eixos: benefício, contrapartida, apoio psicológico, incentivo ao comércio e atração de novas indústrias . Os R$ 300 serão pagos às famílias vulneráveis através de um cartão, que só poderá ser gasto no comércio local. A medida visa incentivar os comerciantes no município.

Além disso, as famílias contempladas devem fazer curso profissionalizante durante os seis meses de recebimento do benefício. Para isso, a prefeitura busca parceria com o Sistema S de Piracanjuba.

Outro eixo é o apoio psicológico que deve ser oferecido às famílias beneficiadas para diminuir os impactos psicológicos gerados pela crise causada pela pandemia.

Além disso, a prefeita busca atrair novas indústrias para o município, justamente para absorver os trabalhadores que serão qualificados.

A procuradoria do município ainda estuda quais famílias terão o direito ao benefício, mas a princípio a prefeita quer sejam pessoas em estado de vulnerabilidade, sem emprego e sem renda.

“É um projeto muito completo do qual me orgulho muito. Vou lutar para que as pessoas que mais precisem, sem qualquer apadrinhamento, tenham acesso”, afirma Nárcia Kelly.