DECISÃO HOJE

Prefeitura de Aparecida estuda suspender escalonamento do comércio

Proposta será discutida entre o prefeito da cidade, Gustavo Mendanha (MDB), juntamente com o Comitê de Gerenciamento de Crise da cidade


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 04/08/2020 às 15:11:25

Gustavo Mendanha (MDB); vice: pastor Romeu | Foto: Reprodução
Gustavo Mendanha (MDB); vice: pastor Romeu | Foto: Reprodução

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), reúne-se com o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus para discutir a proposta de suspensão do sistema de escalonamento do comércio que vigora na cidade. O escalonamento foi criado para diminuir a circulação de pessoas nas ruas e, por consequência, o avanço do coronavírus. A reunião acontece nesta terça-feira.

Gustavo deve apresentar a proposta depois de expor o resultado de ações tomadas pela prefeitura contra o coronavírus. O município está com a taxa de ocupação de leitos em 58% e conta com 130 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes que sofrem de Covid-19. Ou seja, o sistema de Saúde pública da cidade está a uma distância segura da linha do colapso.

O escalonamento consiste na divisão da cidade em dez macrozonas: Paraíso; Buriti Sereno; Garavelo; Vila Brasília; Expansul; Zona da Mata; Centro; Papillon e Cidade Livre. Com isso, o funcionamento é baseado os cenários que variam conforme o grau de isolamento social e avanço da pandemia na cidade. A prefeitura destaca que a adesão do escalonamento se deu por 90% dos comerciantes da cidade.

No primeiro e segundo cenários (verde e amarelo): fecha, na segunda-feira, o comércio da Vila Brasília e Paraíso; na terça-feira, Garavelo e Zona da Mata; na quarta-feira, Buriti Sereno e Cidade Livre; na quinta-feira, Centro e Expansul; e na sexta-feira, Santa Luzia e Papillon. No domingo, todas atividades são suspensas, exceto de serviços de saúde de urgência.

No terceiro cenário, de risco alto (laranja), fecham quatro macrozonas por dia – o que gera mais um fechamento por semana para cada uma. No quarto e último, risco altíssimo (vermelho), serão seis regiões fechadas por dia. Nesse último caso, as atividades comerciais serão suspensas nos sábados e domingos, exceto serviços de saúde de urgência. 

Ficam fora do escalonamento as feiras especiais e cultos, por já terem um tipo de rodízio, atividades de segurança pública e privada, bem como indústrias nos polos que realizam transporte de funcionários.