Política

Prefeito de Edealina é preso por peculato

Caminhão da Prefeitura foi flagrado quando descarregava areia e cimento na fazenda de João Batista Gomes





//

Titular da Dercap, o delegado Abadio Souza e Silva relatou que nos últimos dias recebeu pelo menos cinco denúncias de que o prefeito de Edealina, João Batista, vinha usando máquinas da Prefeitura para transportar material de construção até uma fazenda de sua propriedade que fica em Pontalina. Na fazenda, conforme apurou a polícia, está sendo construído um espaço para a criação de porcos.

No momento em que chegaram à propriedade na tarde de ontem, os policiais flagraram um motorista da prefeitura (que não teve o nome divulgado) descarregando material no local. Preso, João Batista Gomes foi trazido para Goiânia e autuado em flagrante por Peculato, crime que tem pena prevista de dois a 12 anos de reclusão.

Em depoimento, ele alegou que a areia e o cimento serviriam para a construção de um mata burro em outra localidade, obra esta que traria benefícios à Edealina, versão considerada fantasiosa pelo delegado.

“Como uma obra em outro município beneficiaria quem mora em Edealina? E pelas denúncias que recebemos, esta não seria a primeira vez que João batista usava máquinas da prefeitura em sua propriedade particular”, declarou. A princípio, segundo o titular da Decarp, a areia e o cimento teriam sido compradas pelo prefeito, mas isso também será investigado.

Como João Batista tem foro privilegiado, o delegado já encaminhou o flagrante para o Poder Judiciário, que deve definir ainda hoje se ele continua ou não preso. Até o final da manhã desta quinta-feira o prefeito permanecia em uma sala da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) no complexo das Delegacias Especializadas na Cidade Jardim. O delegado disse para a imprensa que tem recebido dezenas de denúncias contra prefeitos do interior pelo mal uso da máquina pública, e afirmou que todas estão sendo investigadas.