Prefeito anuncia reestruturação da saúde em Anápolis com novos hospitais e decreto flexível

Em coletiva de imprensa, prefeito realizou balanço do enfrentamento à doença no município e ações de longo prazo para o cenário pós-pandemia.

Segundo o prefeito, os investimentos no período de pandemia em Anápolis giram em torno de R$ 150 milhões. (Foto: Bruno Velasco)

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (23), o prefeito Roberto Naves (PP) anunciou detalhes da reestruturação da rede municipal de saúde em Anápolis. As mudanças acontecem após a cidade zerar a fila de internações de enfermaria e UTI.

O município deve publicar novo decreto mais flexível, possibilitando o retorno de várias atividades até então suspensas. Naves anunciou a inauguração do novo Hospital Municipal Alfredo Abrahão e a criação do hospital da mulher e do hospital do idoso. Além disso, as cirurgias eletivas irão retornar.

Mudanças

A partir de agora, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) ficará responsável pela regulação dos pacientes que necessitarem de atendimento ou internações na enfermaria ou UTI. “A UPA Alair Mafra passará a ser a porta de entrada dessas pessoas”, destacou o prefeito.

O Centro de Internação Norma Pizzari Gonçalves, referência no atendimento exclusivo a pacientes com Covid, retorna ao controle da Santa Casa de Misericórdia.

“O Norma não será fechado, ele continua aberto, e atenderá de acordo com a realidade do município”, afirmou.

O Hospital Municipal Alfredo Abrahão, utilizado como hospital de campanha para internações, será entregue à população no prazo de até 60 dias, com 75 leitos e três centros cirúrgicos.

A gestão da UPA Vila Esperança e do Hospital Municipal Alfredo Abrahão será feita por organização social (OS), tal como acontece na UPA Pediátrica.

A unidade vai substituir o Hospital Municipal Jamel Cecílio, que após reforma, passará a ser um Centro de Diagnósticos, e receberá recursos do Ministério da Saúde.

“As cirurgias eletivas voltarão a ser realizadas na cidade em um prazo máximo de 60 dias”, garantiu.

A Unidade de Saúde da Vila União será adaptada para receber nos próximos meses o Hospital da Mulher e o Hospital Municipal do Idoso será criado com leitos de internação de longa permanência.

Novo decreto

O município deve publicar novo decreto mais flexível, possibilitando o retorno de várias atividades até então suspensas.

“Provavelmente vamos autorizar alguns eventos, como teste, seguindo protocolos rígidos para que possamos ter novos eventos. Precisamos dar condição de trabalho para aquelas pessoas que querem levar sustento para sua casa. O Covid não acabou e temos a necessidade de tomar todos os cuidados, assim como de tocar a nossa vida, mesmo porque isso é o que temos de mais precioso”, finalizou.

Homenagem

O chefe do executivo agradeceu os profissionais da saúde que atuaram no enfrentamento à covid-19 e divulgou que a cidade terá um memorial para homenagear as vítimas e uma comenda “para os trabalhadores que deixaram suas casas para cuidar dos doentes”. A homenagem será organizada pela Câmara Municipal.