Do Mais Goiás

Prefeito acompanha de perto votação da antecipação de eleição na Câmara de Goiânia

"Aquilo que os vereadores decidem, tem que ser sempre observado”, diz Rogério Cruz

Prefeito acompanha de perto votação da antecipação da eleição da Câmara de Goiânia
Prefeito acompanha de perto votação da antecipação da eleição da Câmara de Goiânia (Foto: Jucimar de Sousa / Mais Goiás)

Segundo o prefeito Rogério Cruz (Republicanos), a antecipação da eleição da Mesa Diretora da Câmara de Goiânia – projeto que já passou na comissão Mista e deve ir a plenário nessa semana – será acompanhada de perto pelo Executivo. “A assessoria estará acompanhando de perto. Aquilo que os vereadores decidem, tem que ser sempre observado”, disse o gestor ao podcast do Mais Goiás, Poder em Jogo.

Rogério expõe que nenhum poder anda separado. Para ele, contudo, se for conforme a lei, a situação é justa. Apesar disso, ele observa que se um vereador discorda de alguma atitude da mesa diretora, já há um problema. “O que eles definem, tem que fazer análise”, diz sobre o texto que altera o regimento interno.

Vale citar, o vereador Lucas Kitão (PSL) tem se manifestado contrário ao projeto original, que cria a vaga de quarto vice-presidente e outras em três comissões da Casa, bem como na emenda que antecipa as eleições da Câmara.

Antecipação

A antecipação já era discutida pelos vereadores há alguns dias, mesmo antes do projeto. O mandato do atual presidente, Romário Policarpo (Patriota), termina no fim do ano que vem. Existe um entendimento na Casa de que não haveria impedimento para uma nova reeleição do patriota.

Essa ideia, porém, teria partido de outros vereadores, uma vez que Romário quer disputar uma vaga na Câmara Federal em 2022.

Para Kitão, a possibilidade afronta à Justiça, uma vez que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesse sentido, contra os então presidentes da Câmara Federal e Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, no ano passado. Se o caso se concretizar, ele pretende apresentar uma ação direta de inconstitucionalidade, além de mandados de segurança.

Projeto

O projeto original prevê a inclusão de um quarto vice-presidente, bem como de mais vagas em três comissões permanentes. Caso aprovada, a Comissão Mista passa a ter 23 parlamentares, enquanto a CCJ e a de Finanças, 11.

O interesse seria da atual Mesa Diretora em contemplar e se aproximar do grupo dos 14 parlamentares que votaram em Dr. Gian (MDB) para presidente da Câmara e perderam a eleição. Para quem não lembra, além de Gian Said, compunham a chapa Sargento Novandir, Leandro Sena, Paulo Henrique, Leia Klébia, Ronilson Reis, Léo José e Edgar Duarte. O gesto seria de fortalecimento e recomposição do Legislativo.

Neste texto, o vereador Juarez Lopes (PDT) incluiu a emenda pela antecipação da eleição. O texto passou, na semana passada, na Comissão Mista. Mesma se aprovada em plenário, o entendimento nos bastidores é que a antecipação só ocorra para reconduzir o atual grupo que gere a mesa.