Volta às aulas

Preços dos materiais escolares ficaram mais caros em Goiânia

Pesquisa do Procon Goiás apontou um aumento médio de 7,69% em relação ao ano passado.


Amanda Sales

Do Mais Goiás | Em: 09/01/2018 às 14:03:37


(Foto: Elza Fiúza/ABr)
(Foto: Elza Fiúza/ABr)

O mês de janeiro começou e com ele começa também a correria dos pais em busca de preços melhores nos matérias escolares dos filhos. E uma pesquisa realizada pela Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon) de Goiás mostra que o material escolar teve um aumento médio de 7,69% em relação a janeiro do ano passado.

Segundo a pesquisa, os produtos idênticos, mesma marca e modelo, podem variar até 273% no valor de uma papelaria para outra. A pasta plástica com elástico foi o item que apresentou maior variação. Enquanto em uma papelaria o material estava saindo a R$2,25, em outra, o mesmo produto com a mesma marca era encontrado a R$8,40.

Na pesquisa o Procon também apontou a canetinha como o item que registou maior variação de preço em relação ao ano passado. Em janeiro de 2017 o material custava R$37,42, já em dezembro ele subiu para R$48,71, um aumento de 30,17%. Ou seja, mesmo tendo um aumento médio de 7,9%, o Procon Goiás constatou uma variação maior.

Para o Gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon Goiás, Gleidson Tomaz, é importante os pais analisarem a lista da matérias antes de irem as compras e fazerem pesquisas. “É importante analisar a lista e verificar se não existem materiais de uso coletivo para evitarem abusos. Ir em pelo menos três papelaria também vai reduzir o custo na hora da compra”

Gleidson Tomaz comentou também da importância de verificar nas escolas se não sobrou nenhum material do ano anterior para diminuir itens da lista. “Muitos materiais não são utilizados até o final do ano letivo, então é bom verificar o que não foi usado e reaproveitar para melhorar no orçamento.”