Do Mais Goiás

Preço de presente para Dia das Mães varia até 183% em Goiânia

Procon destaca que consumidor deve ter cuidado com loja em que compra e pesquisar preços

Consumidores que têm dificuldades para conseguir o reembolso de passagens em dinheiro ou adiamento dos voos recorrem ao Procon Goiânia. Ao todo foram registrados 627 atendimentos relacionados à crise do coronavírus (Covid-19), no período do dia 19 de março até terça-feira (31), sendo que 291 são reclamações e 336 consultas. As agências de viagem e companhias aéreas correspondem a 80% das demandas dos consumidores. As reclamações relacionadas a viagens estão sendo encaminhadas às companhias aéreas, agências de turismo e plataformas de venda de viagens.   Walter Silva, superintendente do Procon Goiânia, recomenda que o consumidor deve tentar remarcar a viagem para uma outra data, em vez de pedir reembolso, para minimizar danos causados ao passageiro. A Medida Provisória n°925, emitida pelo Governo Federal no dia 18 de março, define que o prazo para o reembolso do valor relativo à compra de passagens aéreas será de 12 meses para as pessoas que fizeram sua solicitação até o 31 de dezembro de 2020. “A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) orienta que os consumidores evitem cancelar a viagem para ter restituição. A recomendação é que remarque a data porque evita receber o dinheiro de volta em 12 meses. Além disso, o consumidor tem o direito de remarcar quantas vezes puder, logo que terminar o período de combate à Covid-19. A nossa recomendação, como Procon Goiânia, é que todos os consumidores evitem cancelar, porque o prejuízo é maior para ele e para o fornecedor”, explicou Walter Silva.   Além de reclamações contra agências de viagem e companhias aéreas, o órgão recebe ligações  de consumidores que relatam problemas com farmácias, lojas, supermercados, contas de energia e de água e bancos. Atendimento Consumidores que querem tirar dúvidas ou registrar queixas, o Procon Goiânia enfatiza a importância de priorizar o atendimento à distância. O órgão disponibiliza canais de atendimentos não presenciais para intermediar conflitos e orientar os consumidores.  O atendimento por telefone funciona pelos números (62) 3524-2942, (62) 3524-2936, (62) 3524-2949. Quem desejar receber orientações pela internet deverá enviar as reclamações para o e-mail (atendeprocon@goiania.go.gov.br). *Laylla Alves é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira

O Dia das Mães é a data mais rentável para o comércio. Entretanto, com a atual situação da quarentena por causa do novo coronavírus, o modo de se adquirir o presente mudou e certamente será via internet. Por causa disso, o Procon Goiânia divulgou, nesta quarta-feira (6), uma pesquisa de preço de produtos em lojas da capital e acredite: o mesmo presente por ter variação no valor de 183%.

De acordo com o órgão, 25 estabelecimentos foram visitados, sendo 11 sites e 13 comércios que estão funcionando no sistema de vendas drive-thru e delivery entre os dias 22 de abril a 4 de maio. A pesquisa foi realizada baseado em outro levantamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Nele, destaca-se que 85% dos filhos pretendem presentear as mães e que 82% comprarão o presente de forma online.

Foram pesquisados 26 produtos, entre eletrônicos, flores, calçados, celulares, perfumes, cestas de café da manhã e acessórios. A maior variação foi de  um buquê de rodas com 12 unidades que foi encontrado de R$60 a R$ 170 – variação de 183%. Um outro buquê, de flores tropicais, foi encontrado entre R$ 100 a R$ 220. Ou seja, variação de 120%.

Outros produtos foram pesquisados pelo órgão. Um secador de cabelo teve variação de 58,68%, sendo encontrado por R$ 239,90 até 380,68. Um tênis para caminhada também chama atenção pela variação de preço: 42,86%. Ele foi encontrado de R$ 139,99 até 199,99.

Recomendações

O superintendente do Procon Goiânia, Walter Sales, destaca que o grande segredo é pesquisar em vários sites ou aplicativos. Segundo ele, é necessário que essa cultura seja desenvolvidos pelo goianienses. “É muito importante isso [pesquisar]. Para se ter uma ideia, quando fazemos isso, encontramos variações gritantes nos preços e quantidades de itens nesse produto, como um buquê ou cesta de café da manhã”, destaca.

Walter destaca que, nas compras online, o consumidor tem que confiar no site que está recorrendo e ter o máximo de cuidado ao informar dados bancários na hora de pagamento. “A pesquisa deve ser feita e a compra deve ser realizada em um site que você confia. Procure saber se o site conta com loja física. Busque o histórico dele perante o “Reclame Aqui” e “Consumidor.gov.br” e veja quais lojas estão entre as mais reclamadas, as que mais resolveram essas questões e as que nem se preocuparam com o consumidor”, pontua.

Além disso, Walter destaca que, no caso das cestas de café da manhã, o cliente deve ser informado da quantidade de itens, tipos de produto, marcas, acessórios, enfeites e ainda se são incluídos outros artigos. Também reforça a constar por escrito o que foi combinado verbalmente sobre a data e horário de entrega, mensagem, tipos de flores, cestas, valor e combinação de pagamento.

Se a preferência for flores, é importante o cliente verificar o custo de arranjos, levando em consideração tamanho, tipos de flores utilizadas, base de apoio e taxa de entregue. Sobre perfumes, o consumidor deve levar em consideração informações como nstruções de uso; características; registro no órgão competente; prazo de validade; composição; volume/quantidade, condições de armazenamento e identificação sobre o fabricante/importador.

Caso o consumidor encontre alguma irregularidade, o Procon Goiânia disponibiliza canais de atendimentos à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via e-mail ([email protected]), ou por telefone: (62) 3524-2942, 3524-2936, 3524-2949. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h.