Portuguesa empata com o Boa na estreia de Benazzi

Equipe paulista continua na zona do rebaixamento, com 18 pontos, em 18.º lugar. O clube mineiro tem 35, em sexto lugar

Na estreia do técnico Vágner Benazzi no comando da Portuguesa, o time paulistano empatou com o Boa por 1 a 1, no estádio do Canindé, em São Paulo, interrompendo uma série de três derrotas consecutivas, nesta terça-feira, pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Mas a equipe continua na zona do rebaixamento, com 18 pontos, em 18.º lugar. O clube mineiro tem 35, em sexto lugar.

Em princípio, Vágner Benazzi não ficaria no banco de reservas e o time seria dirigido, de novo, por Zé Augusto, da equipe sub-20 como interino. “Cheguei só na segunda-feira à tarde, mas vim para o banco porque gosto de ficar perto do jogo. Na arquibancada é chato”, brincou o técnico, que não deu nenhum treino aos seus novos comandados. Ele ocupou a vaga de Silas Pereira.

Os dois times entraram em campo em situações bem opostas. A Portuguesa vindo de três derrotas consecutivas – para Bragantino Santa Cruz e Joinville. Do outro lado, o Boa defendia uma série invicta de quatro jogos, com três vitórias sobre América-MG, Atlético Goianiense e Icasa – só empatou sem gols em casa com o ABC.

O time mineiro sabia das dificuldades físicas e técnicas da Portuguesa, por isso mesmo começou dando uma “blitz” no adversário. Quase abriu o placar aos dois minutos, quando Tomas chutou da entrada da área e a bola tocou no travessão e subiu. Dois minutos depois, após cruzamento da esquerda, o zagueiro Thiago Carvalho subiu sozinho e testou com força. Por sorte, a bola foi para fora.

Passados estes dois sustos, aos poucos a Portuguesa equilibrou as ações no meio de campo, passou a tocar a bola e melhorou na marcação. Mesmo assim, a ordem para a defesa era aliviar de qualquer jeito “porque o jogo é de campeonato”. A única chance aconteceu aos 36 minutos, em uma jogada individual de Gabriel Xavier, que passou por dois adversários, mas entrou na área já cansado e bateu sem força, facilitando a defesa do goleiro João Carlos.

“Não jogamos bem. Precisamos jogar mais para pretender alguma coisa aqui dentro”, comentou o técnico Nedo Xavier, do Boa, preocupado com o fraco futebol de seu time.

Ninguém mudou na volta para o segundo tempo. Só aos 17 minutos é que Alemão saiu para a entrada de Caio Mancha. Neste instante, Jocinei lançou Gabriel Xavier dentro da área, ele ajeitou e bateu sem força e em cima de João Carlos. Aos 32, a Portuguesa de novo ameaçou, desta vez em uma cabeçada de costas de Serginho que exigiu que o goleiro mineiro espalmasse para o alto.

O Boa não melhorou. Mas fez seu gol na única chance que teve no ataque aos 38 minutos. Luciano Castán errou na saída de bola e Fernando Karanga dividiu com a defesa. O rebote ficou para Morato, que soltou a bomba de perna esquerda. A bola morreu no ângulo esquerdo de Rafael Santos, sem chances de defesa.

No desespero, a Portuguesa empatou. Júnior Alves cobrou falta pela esquerda e Luciano Castán desviou de cabeça, aos 44 minutos. Tudo igual. Menos ruim para a equipe paulista.

Pela 24.ª rodada, a Portuguesa vai até Natal para enfrentar o América-RN, nesta sexta, a partir das 19h30. O Boa só joga no sábado, às 21 horas, contra o Paraná, no estádio Dilzon Melo, em Varginha (MG).

FICHA TÉCNICA
PORTUGUESA 1 x 1 BOA

GOLS – Morato, aos 38, e Luciano Castán, aos 44 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Serginho, Gabriel Xavier e Jocinei (Portuguesa); Thiago Carvalho e Wellington (Boa).

ÁRBITRO – Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 881 pagantes.

LOCAL – Estádio do Canindé, em São Paulo (SP).

PORTUGUESA – Rafael Santos; Arnaldo, Brinner, Luciano Castán e Régis; Bruno Piñatares, Jocinei (Júnior Alves), Gabriel Xavier e Allan Dias; Serginho e Alemão (Caio Mancha). Técnico: Vágner Benazzi.

BOA – João Carlos; Tinga, Ciro Sena, Thiago Carvalho e Marinho Donizete (Piauí); Vinícius Hess, Wellington, Tomas (Josa) e Clébson (Morato); Uallisson Pikachu e Fernando Karanga. Técnico: Nedo Xavier.