Entretenimento

Por e-mail, Dr. Luke diz que não daria a Kesha músicas boas “por conta de seu peso”

As mensagens eletrônicas foram anexadas ao processo que a cantora move contra o produtor por assédio psicológico


Murillo Soares

Do Mais Goiás | Em: 16/02/2017 às 16:57:28


Kesha move um processo contra Dr. Luke desde 2014 (Foto: AP Photo/Chris Pizzello)
Kesha move um processo contra Dr. Luke desde 2014 (Foto: AP Photo/Chris Pizzello)

No ano passado, a cantora Kesha perdeu uma luta judicial contra o produtor musical Dr. Luke. Ela o processava por assédio sexual. Ele respondeu, acusando-a de difamação e, agora, a popstar anexou ao processo uma série de e-mails que comprovariam o abuso psicológico que sofria. Em um deles, Luke diz que “uma lista de Top-A compositores estão relutantes em dar músicas boas a Kesha por conta de seu peso”.

Em uma das mensagens eletrônicas, Luke escreve: “Estávamos tendo uma discussão sobre como ela poderia ser mais disciplinada com sua dieta. Por vezes, vimos que ela quebrou a dieta. Especificamente dessa vez, ela tomou Coca Diet e comeu peru enquanto só deveria tomar suco”. Em resposta, Monia Cornia, outra empresária de Kesha, pediu que o produtor fosse mais solidário com a cantora. “Ela é humana, não uma máquina”, respondeu. O produtor retrucou: “Se ela fosse uma máquina, seria muito legal. Poderíamos fazer o que quiséssemos”.

De acordo com o The Guardian, os e-mails também mostram uma discussão acerca da letra de “Crazy Kids”. Enquanto Kesha queria uma versão que não envolvesse balada, Luke insistia em manter a composição como estava. “Eu não me importo com o que ela pensa, se fosse esperta apenas aceitaria e cantaria o que eu dissesse”, lê-se.

À imprensa americana, a equipe de Dr. Luke enviou uma declaração, acusando Kesha e sua advogada de tentar ludibriar o público.“Kesha e seus advogados continuam a enganar e se recusam a liberar o grande registro de provas mostrando a má-fé de Kesha Sebert e seus representantes, o que é bastante prejudicial para eles. Elas (as provas) mostram o apoio tremendo que Dr. Luke forneceu a Kesha em questões artísticas e pessoais, incluindo preocupações com seu peso”, diz a mensagem.

O release ainda diz que os três e-mails entre Luke e Monia Cornia são fora de contexto e “não representam a real situação dos eventos”. Segundo a declaração, a letra de “Crazy Kids” foi, na verdade, reescrita a pedido da própria popstar. “Qualquer declaração da Kesha contrária a isso está enganando o público”, lê-se. A mensagem termina informando que o produtor aguarda por respostas no tribunal.

Histórico

A cantora Kesha trava há três anos uma batalha para sair de um acordo de gravação com a Sony Music e a Kemosabe Records, selo de Dr. Luke. Ela acusou o produtor de estupro e abuso emocional durante os estágios iniciais de sua carreira, entre 2009 e 2011. Quando o caso veio a público a popstar ganhou o apoio de outras colegas, como Taylor Swift, Demi Lovato, Adele e Lady Gaga.

À época, Luke negou as afirmações e processou a cantora por difamação. Em abril do ano passado, a justiça norte-americana deu vitória a Dr. Luke, alegando falta de provas concretas. Ainda com contrato na Kemosabe Records, Kesha conseguiu, este ano, o direito de gravar sem que o produtor esteja nos estúdios, entretanto ele ainda mantinha poder de veto no processo criativo.

Segundo os advogados da cantora, ele desaprovou todo material novo da popstar. “Nenhuma música foi aprovada, nenhuma data de lançamento foi estabelecida e não houve acordo algum sobre a questão crítica se o álbum será promovido em conformidade com uma artista do nível de Kesha e seu sucesso histórico”, disse.

Tópicos