População volta a procurar o Hutrin após mudança de gestão do hospital

Nesta semana uma nova Organização Social começou a gerir a unidade de saúde, que sofria com greve de médicos e servidores de apoio


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 30/11/2018 às 18:27:34

(Foto: Divulgação/Hutrin)
(Foto: Divulgação/Hutrin)

De acordo com o Hospital Estadual de Urgências de Trindade Walda Ferreira dos Santos (Hutrin), o atendimentos no ambulatório e cirurgias retomaram o ritmo de antes da paralisação dos serviços. A nova Organização Social responsável pela gestão do hospital, o Instituto CEM, garante que serviços serão de excelência.

“A população de Trindade e região reaprendeu o caminho do Hutrin, depois que a Secretaria Estadual de Saúde transferiu a gestão. Na última terça-feira (27), o Instituto CEM substituiu o Instituto Gerir na execução dos serviços para um contrato emergencial de 180 dias”.

O atendimento na unidade estava praticamente paralisado, com greve de médicos e pessoal de apoio. Agora o hospital ficou movimentado desde que a população descobriu o retorno dos atendimentos. O presidente do Conselho de Administração do Instituto CEM, Thadeu Grembecki, ressaltou que a normalidade se deve à negociação com servidores, fornecedores e prestadores de serviço que deram crédito para a nova OS.

Atendimento no Hospital Hutrin (Foto: Divulgação/Hutrin)

“Garantimos vida nova e que os compromissos serão honrados com toda presteza. O que ficou para trás será solucionado pelo Estado e pela OS que fez a gestão nos últimos anos. Mas, o importante é que todos temos como norte a boa prestação de um atendimento para a população e o cumprimento das metas estabelecidas no contrato de gestão com a Secretaria de Saúde”, frisou Grembecki.

Nessa sexta-feira, o ambulatório estava com pacientes aguardando atendimento enquanto outros eram consultados pelos médicos de plantão. Casos diversos como enxaqueca, dengue, traumas e até crise renal foram atendidos dentro das planilhas de classificação. Na última quinta-feira (29,), foram realizados 11 partos e uma histerectomia. Hoje foram cinco cirurgias ortopédicas variadas.

Aceitação

A gestora administrativa Layula Machado de Oliveira, 19 anos , sofreu uma queda de motocicleta na noite de quinta-feira (29), mas só na manhã desta sexta-feira conseguiu ir ao hospital. Em menos de uma hora ela foi chamada para a consulta, fez os exames de imagem e retornou para avaliação do médico Thiago Abreu. “Fui bem recebida e atendida. De zero a 10, dou nota 9. Fiquei impressionada e agradecida”, disse a paciente.