Golpe na Turquia

População turca ocupa praças e ruas

Enquanto centenas de pessoas se dirigem à praça Taksim, em Istambul, outras fazem fila em caixas eletrônicos para sacar dinheiro




O clima nas ruas das duas principais cidades turcas – Istambul e a capital Andara – é caótico. Chamados às ruas pelo presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, contra o golpe militar em curso no país, os turcos não se intimidaram com os tanques de guerra e soldados armados bloqueando o tráfego nas importantes vias de acesso e estão se dirigindo às principais praças de Ancara e Istambul. “Convoco a população a ocupar praças públicas e aeroportos. Nunca acreditei em um poder maior do que o poder do povo”, disse Erdogan em entrevista à CNN turca.

Enquanto centenas de pessoas se dirigem à praça Taksim, em Istambul, outras fazem fila em caixas eletrônicos para sacar dinheiro em meio à indefinição do futuro político e econômico do país. Carros buzinam e transitam pela contramão.  O aeroporto foi fechado e todos os voos foram cancelados.

Há relatos de que tiros foram escutados em Ancara, onde caças militares voam baixo. Duas explosões teriam ocorrido no Parlamento. Segundo relatos de uma testemunha à agência de notícias Reuters, um helicóptero militar abriu fogo na capital turca e o som de uma explosão foi ouvido na cidade.

Segundo a agência de notícias EFE, pelo menos 17 policiais morreram em uma explosão na sede das forças especiais da corporação no distrito de Golbasi, em Ancara, um dos pontos onde ocorreram enfrentamentos durante a tentativa de golpe de Estado.

A imprensa local afirma que um caça-bombardeiro F-16 derrubou um helicóptero dos rebeldes. Segundo a CNN turca, o governo indicou que a força aérea interveio para deter os golpistas.

De acordo com dois grupos que monitoram a internet na Turquia, o Dyn e o Turkey Blocks, o acesso a redes sociais e sites como YouTube e Google foi restrito no país logo após a divulgação de notícias sobre o golpe militar.

Estrangeiros

As embaixadas de países como Estados Unidos, Reino Unido, França e Brasil aconselham seus cidadãos que estão na Turquia a evitarem locais públicos e contatarem familiares para tranquilizá-los.

“O governo brasileiro acompanha com atenção os desenvolvimentos na Turquia. O Ministério das Relações Exteriores recomenda a todos os cidadãos brasileiros que residam ou estejam na Turquia que façam contato com seus familiares no Brasil a fim de tranquilizá-los. Recomenda-se, ainda, evitar a circulação pelas ruas, em todo o país, até que a situação se normalize”, aconselhou o Ministério das Relações Exteriores do Brasil em sua conta no Facebook.

Uma comitiva do Ministério da Cultura do Brasil, que inclui o ministro, Marcelo Calero, está em Istambul para a 40ª Reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco. Segundo nota oficial da pasta, a equipe “está bem e aguarda no hotel os desdobramentos da situação na Turquia”.