Pardal

População já registrou mais de 3 mil denúncias contra irregularidades eleitorais em Goiás

Por meio de um aplicativo de celular, os próprio eleitores podem encaminhar denúncias ao TRE, que por sua vez as envia ao Ministério Público para que sejam investigadas




A participação dos eleitores levou ao registro de 3.008 denúncias por más condutas eleitorais por parte candidatos a vereador, vice-prefeito e prefeito no pleito deste ano nos municípios Goiás. As denúncias foram registradas pela própria população por meio do aplicativo Pardal e do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que desde o dia 18 de agosto catalogam as irregularidades para que sejam investigadas.

Segundo o chefe da Seção de Sistemas Eleitorais do tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), Patrício Rios Brandão, a maior parte das denúncias feitas no Estado diz respeito a propagandas irregulares. “São adesivações, anúncios em locais impróprios ou uso de carro de som, por exemplo”, explica.

Outros tipos de irregularidades denunciadas são crimes eleitorais (11%), uso de máquina pública (10%), compra de votos (8%) e gastos irregulares (4%). Outros 21% das denúncias não se enquadram em nenhuma dessas categorias.

Essa foi a primeira vez que o Pardal foi utilizado em Goiás. O sistema foi criado no Espírito Santo em parceria com o TSE, em 2012, e neste ano foi disponibilizado em todo o país. Todo usuário de Android ou iOS pode baixar a ferramenta gratuitamente. “Quem preferir pode usar pela Internet, pela página do TSE, na seção com o mesmo nome do aplicativo”, afirma Patrício.

Em todo o país, foram mais de 32 mil denúncias desde a implementação do sistema, em 18 de agosto, logo após o início da campanha. Os registros podem ser feitos de forma anônima – se o usuário preferir – e permitem o encaminhamento de fotos, aúdios e vídeos que comprovem as práticas delatadas.

Segundo Patrício, as denúncias feitas no Estado são encaminhadas ao Ministério Público Eleitoral para serem apuradas e para que sejam tomadas as medidas cabíveis. A expectativa é que o aplicativo continue funcionando por pelo menos uma semana após o fim de um possível segundo turno nas maiores cidades de Goiás.

“O uso do aplicativo – que já passou das 3 mil denúncias – demonstra o interesse dos eleitores em participar do processo”, diz Patrício. “A intenção do TRE foi essa mesma, de aproximar o eleitor dos candidatos e aproveitar para que nenhuma irregularidade passe impune. Acredito que na próxima eleição a adoção será ainda maior”, complementa.