Vice de novo

Ponte volta a tropeçar e fica com vice da Série B

Despedida da temporada veio com um decepcionante empate com o Náutico, por 1 a 1, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)




Pela terceira vez seguida o Joinville vacilou, e pela terceira vez seguida a Ponte Preta desperdiçou uma chance de ouro. Apesar da derrota dos catarinenses para o Oeste, por 1 a 0, o time paulista não fez sua parte, neste sábado à tarde, e perdeu a chance de conquistar o título inédito do Campeonato Brasileiro da Série B. A despedida da temporada veio com um decepcionante empate com o Náutico, por 1 a 1, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE).

É o segundo ano consecutivo que a Ponte amarga um vice-campeonato, já que em 2013 havia perdido a final da Sul-Americana contra o Lanús-ARG. Apesar do objetivo principal, que era o acesso, ter sido conquistado, o clima de frustração era visível. “Fico feliz pelo acesso, mas fico chateado por poderíamos ter feito história”, disse o meia Adrianinho.

A Ponte encerra sua participação com um jejum de quatro jogos sem vitórias, com dois empates e duas derrotas. A última vitória foram os 2 a 0 sobre o Bragantino, quando conquistou o acesso antecipadamente. O empate deste sábado deixou o time de Campinas na segunda posição, com 69 pontos, enquanto o Joinville acabou com 70 pontos. O Náutico terminou na 13.ª posição, com 50 pontos.

A Ponte fez um primeiro tempo abaixo das expectativas e nem parecia que lutava pelo título. Pelo contrário, o Náutico é quem aparentava disputar uma decisão, apesar da semana conturbada e marcada por greve dos jogadores por conta dos atrasos salariais. Tanto que o time da casa foi quem abriu o placar. Aos 12 minutos o meia Vinícius arriscou de fora da área e acertou o canto direito do goleiro Roberto.

Na segunda etapa, as broncas e o dedo do técnico Guto Ferreira mudaram o jogo. Com a entrada do atacante Cafu na vaga de Rafael Costa, a Ponte voltou mais insinuante. Após carimbar o travessão com o meia Roni, os paulistas empataram aos 15 minutos. Renato Cajá recebeu na área e bateu cruzado. O goleiro Júlio César não segurou e a bola rolou mansamente para o gol. O Náutico reclamou que a bola não chegou a entrar totalmente.

Depois do empate, o jogo ficou dramático. A Ponte voltou a cair de produção, principalmente a saída de Renato Cajá para a entrada de Thomás. Os donos da casa voltaram a ter controle da bola e seguraram o empate, apesar da chance inacreditável perdida por Adrianinho, que cortou o zagueiro e, de frente para Julio Cesar, tentou mais um drible antes de perder a bola.

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 1 X 1 PONTE PRETA

GOLS – Vinícius, aos 12 minutos do primeiro tempo. Renato, aos 15 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO – Felipe Gomes da Silva (PR).
CARTÕES AMARELOS – David, Vinícius, Marinho (Náutico); Jeferson, Bryan e Adilson Goiano (Ponte Preta).
CARTÃO VERMELHO – Bryan (Ponte Preta).
RENDA E PÚBLICO – Não divulgados.
LOCAL – Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE).

NÁUTICO – Júlio César; David, William Alves, Luiz Alberto e Gaston Filgueira; João Ananias, Paulinho e Vinícius; Guilherme (Vítor Michels), Bruno Furlan (Leleu) e Marinho (Raí). Técnico: Dado Cavalcanti.

PONTE PRETA – Roberto; Jéferson, Tiago Alves, Gilvan e Bryan; Adílson Goiano, Juninho e Renato Cajá (Thomás); Alexandro, Roni (Adrianinho) e Rafael Costa (Cafu). Técnico: Guto Ferreira.