Tragédia

Policial Militar mata namorada e comete suicídio em seguida no Jardim Bela Vista, em Goiânia

Alessandro Rosa e Josiene Rodrigues de Morais estavam juntos em uma distribuidora quando o crime aconteceu. Segundo a Polícia Civil, o principal motivo seria uma discussão por ciúmes


Kayque Juliano
Do Mais Goiás | Em: 15/10/2018 às 11:01:40

Josiene morreu na hora. O policial foi socorrido e morreu no hospital. (Foto: Reprodução/ Redes sociais)
Josiene morreu na hora. O policial foi socorrido e morreu no hospital. (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

O sargento da Polícia Militar, Alessandro Rosa dos Santos, matou a namorada na noite de domingo (14), em uma distribuidora de bebidas, no Jardim Bela Vista, em Goiânia. Após atirar contra a vítima, o sargento, que é lotado no Batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), atirou na própria cabeça.

A mulher, Josiene Rodrigues de Morais, teve a morte confirmada no local por uma equipe do Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência. Já o policial chegou a ser socorrido com vida e foi encaminhado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde morreu na madrugada desta segunda-feira (15).

Em nota, a Assessoria de Comunicação Social da Polícia Militar informa que as equipes foram acionadas por volta de 22 horas para comparecer na distribuidora de bebidas que fica na Rua Piratininga, esquina com Araucária, momento em que os policiais encontraram uma mulher alvejada na região da cabeça, já em óbito, e o sargento que foi socorrido e levado para o Hugo, onde faleceu. A corporação reforça que os fatos que circunstanciaram o episódio serão apurados posteriormente com as investigações da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH).

Segundo o delegado que compareceu no local, Marco Aurélio Euzébio, os dois estavam namorando há cerca de três meses e o principal motivo do crime seria uma discussão por ciúmes.

“Testemunhas nos relataram que o casal ingeria bebida alcoólica e discutia por causa de ciúmes. Nós já sabemos também que anteriormente eles tiveram uma discussão em outro estabelecimento comercial antes de ir para a distribuidora de bebidas. Agora nós vamos intimar testemunhas, pessoas que estavam no local e familiares para que possamos dar andamento na investigação”, explica o delegado