16 anos de prisão

Policial militar é condenado por matar homem com seis tiros, em Rio Verde

Segundo o inquérito policial, assassinato foi cometido porque a vítima desligou o telefone na cara do acusado




O policial militar Rogério Aparecido da Silva foi condenado a 16 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, pelo homicídio qualificado de Sebastião Pires de Ataídes, ocorrido em julho de 2011, em Rio Verde. Pela sentença, ele também perdeu seu cargo como policial e não poderá recorrer em liberdade pelo fato de o crime constar no rol de hediondos.

A perda do cargo de policial militar do Estado de Goiás foi decretada nos termos do Código Penal, que prevê a sanção quando a pena aplicada é superior a quatro anos. O Conselho de Sentença acolheu os graves fatos imputados ao réu, incompatíveis com a função de resguardar a segurança pública.

Rogério é acusado de ter assassinado Sebastião no dia 10 de julho de 2011, supostamente pelo fato de a vítima não ter atendido suas ligações.

Segundo o inquérito policial, Rogério estava bebendo em um bar com outra pessoa em um posto de combustíveis quando resolveu ligar para a vítima. Houve uma discussão e Sebastião desligou o telefone em sua cara.

O policial, então, mandou que o pessoa que estava com ele o levasse até o Residencial Canaã, onde a vítima, que era traficante de drogas, morava, afirmando que precisava conversar com ela. Já no local, a vítima chegou após poucos instantes, em seu próprio carro, e, ao descer, dirigiu-se ao veículo onde o policial estava.

Neste momento, Rogério empurrou a porta e derrubou Sebastião no chão e, imediatamente, o atingiu com seis tiros.

 

Tópicos