VIOLÊNCIA

Policial bate em homem negro sem reação em Planaltina; vídeo

Imagens mostram que o militar continua agredindo a vítima mesmo sem ela esboçar nenhuma reação


Laylla Alves
Do Mais Goiás | Em: 02/06/2020 às 15:00:04

(Foto: Reprodução Jornal de Brasília)
(Foto: Reprodução Jornal de Brasília)

Vídeo gravado por uma testemunha mostra o momento em que um policial militar agride um homem negro no estacionamento de um supermercado de Planaltina, na noite da última segunda-feira (1). As cenas chamam atenção. Em primeiro lugar, porque a vítima, mesmo sem reagir, continua a levar golpes de cassetete. Em segundo lugar, porque os golpes são dados nas costas da vítima, que tenta se afastar cambaleante. Em terceiro lugar, porque o policial atira uma pedra quando o homem consegue se afastar. E, por fim, porque o parceiro do policial assiste à cena sem reprimir o colega.

No vídeo é possível ouvir o vítima dizer: “eu não fiz nada, meu senhor”. Assista.

 

 

A vítima, aparentemente, é morador de rua. Não se sabe qual o motivo da agressão. A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) informou em nota que foi instaurado IPM (Inquérito Policial Militar) e que as filmagens foram recolhidas como objeto de investigação. De acordo com a PM, os servidores policiais militares serão ouvidos ainda na tarde de hoje (2), assim como possíveis testemunhas. Os policiais foram afastados do serviço operacional, segundo a própria corporação. Leia a nota completa na integra:

A Polícia Militar foi acionada pela população para atender inúmeras denúncias de perturbação da tranquilidade e da ordem pública, naquele local.
Conforme as imagens divulgadas, os policiais foram até o local para atender a mais um chamado de perturbação e o final da ação foi registrada conforme o vídeo. Não há que se falar em atitude racista, mas de excesso na ação policial.
A PMDF informa que foi instaurado IPM (Inquérito Policial Militar). As filmagens foram recolhidas como objeto de investigação. Os servidores policiais militares serão ouvidos ainda na tarde de hoje (2), assim como possíveis testemunhas. Os policiais foram afastados do serviço operacional.

*Com informações do Jornal de Brasília

*Laylla Alves é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira