EM INVESTIGAÇÃO

Polícia investiga suposto caso em que namorada atirou em delegado e se matou

Polícia não descarta possibilidade de feminicídio contra a modelo Priscila de Bairros, de 27 anos


Laylla Alves
Do Mais Goiás | Em: 22/05/2020 às 16:34:08

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Paulo Bilynskyj, delegado de São Paulo,  foi encontrado baleado no apartamento em que mora após suposta briga com a namorada. Ele foi  submetido a uma cirurgia na tarde de desta última quinta-feira (21), porém terá que realizar outras duas cirurgias para retirar projéteis de arma de fogo do corpo.

“Pessoal, acabei de receber a notícia que vou ter que passar por mais duas cirurgias. Uma no abdômen e uma no peito para tirar projéteis de arma de fogo” afirmou Paulo em um vídeo gravado para familiares e amigos.

Ele ainda completou: “Se Deus quiser, vai dar tudo certo. E preciso do apoio de vocês, tanto com doação de sangue quanto com oração. Por favor. A gente se vê daqui a pouco”.

O delegado afirmou em outro vídeo que sua namorada, a modelo Priscila de Bairros, de 27 anos, atirou seis vezes contra ele depois de ver uma mensagem no celular dele que não gostou e depois ela se matou, segundo Paulo.

Priscila foi encontrada ainda com vida no banheiro do apartamento com uma marca de tiro na altura do peito, na região lateral do corpo. A modelo foi socorrida e levada para um hospital próximo, mas não resistiu ao ferimento e veio a óbito.

Investigações

A Polícia Civil (PC) e a Corregedoria da corporação investigam se houve uma tentativa homicídio seguida de um suicídio ou se houve um feminicídio.

Com passagem pelo DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), atualmente Paulo é delegado é plantonista no 101º DP (Distrito Policial), no Jardim das Imbuias, zona sul de São Paulo. Ele também é professor em uma escola de cursos preparatórios.

Paulo é conhecido nas redes sociais por defender o uso de armas para proteção de vidas.

Namorada atira em delegado e depois se mata em São Paulo

(Foto: Reprodução)

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) confirmou que “a ocorrência está em andamento e será registrada pela Corregedoria da Polícia Civil”. A pasta afirmou que “todas as circunstâncias relativas aos fatos serão apuradas em inquérito policial pelo órgão corregedor da instituição”, porém o delegado responsável pela investigação preferiu não se posicionar sobre o assunto.

*Com informações do UOL

*Laylla Alves é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira