Estelionato

Polícia investiga casal que teria cometido golpes contra noivas em Goiânia

Clientes da Vitória Santiago Eventos reclamam de casamentos realizados pela metade e fornecedores relatam falta de pagamento. Dupla estaria foragida




Preparar uma festa de casamento dá trabalho. Mesmo quando o serviço é delegado a uma empresa especializada, é sempre muito estressante gerenciar o processo para garantir que tudo saia conforme o planejado. O sufoco piora quando os noivos e noivas descobrem que as pessoas contratadas por eles têm um histórico de casamentos mal executados e pagamentos não devolvidos.

Esse é o caso do professor universitário Danilo Rezende. Há um ano e sete meses junto de sua atual noiva, Cristhiane Maciel Correia, eles decidiram que o dia 2 de julho deste ano seria uma boa data para celebrar o casamento.

Assim, por uma indicação de uma colega de trabalho de Cristhiane, eles chegaram até a Vitória Santiago Eventos. Depois de entrarem em contato com o casal que toma conta da empresa, Morgan Ferreira Santiago e a mulher identificada apenas como Vitória, foi fechado, em novembro do ano passado, um acordo de R$ 12.350 mil para a realização da festa.

“Eles pediram uma entrada de R$ 6 mil e vários cheques de R$ 882 para fazer a decoração”, conta Danilo. Segundo ele, o dinheiro estava sendo pago em dia e tudo parecia estar correndo bem. Mas uma notícia vinda da mesma amiga que indicou o casal transformou o sonho em pesadelo.

“Até maio nós estávamos tranquilos. Mas aí, no meio do mês, a colega viu uma postagem no Facebook dizendo que eles estavam praticando golpes”, afirma o professor. Os relatos que chegaram ao conhecimento dos noivos não eram nada animadores: “Eles fizeram um evento em Cezarina incompleto, sem nada do que estava no contrato. Além disso não pagaram os garçons, que recolheram taças e outras coisas para compensar”, diz.

O casal, então, foi atrás de outras ocorrências e soube de vários casos semelhantes. Descobriu-se, inclusive, que a mulher conhecida como Vitória para alguns se apresentava como Clidelia. 

Os casos ganharam repercussão entre as vítimas e, em pouco tempo, os números da Vitória Santiago Eventos, assim como os celulares dos proprietários, deixaram de ser atendidos. “Depois disso nós sustamos os dois últimos cheques, mas já tínhamos pago R$ 10 mil”, lamenta Danilo.

Apesar do contratempo, nem Danilo nem Cristhiane querem adiar o casamento. “Estamos na correria atrás de decoração. O custo é muito alto e o prazo está apertado, mas estamos procurando coisas mais simples para não ter que cancelar”, revela o noivo.

Medidas

Enquanto isso, um grupo de casais lesados pela Vitória Santiago Eventos discute no WhatsApp medidas a serem adotadas contra os suspeitos. São cerca de 15 pessoas vitimadas, além de fornecedores que não receberam o pagamento devido a eles.

“Nem o Morgan e nem a Vitória atendem as ligações de nenhum de nós”, diz Danilo. “Nas poucas vezes que conseguiram falar com eles, o Morgan justificou que a esposa dele está com problemas de saúde.”

No entanto, a versão não foi comprada pelos lesados. Eles afirmam que Vitória foi flagrada em vídeo entrando em um táxi carregado de malas em direção à rodoviária. A hipótese mais provável é que ela tenha ido se esconder na casa da mãe, no município de Caldas Novas.

Com toda a mobilização e evidências coletadas, o grupo se reuniu na tarde desta quarta-feira (1º/6) na Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon) com o delegado Webert Santos. Às vítimas do golpe, o delegado pediu que fosse juntada a maior quantidade possível de documentação que comprove o possível estelionato e que sejam registrados Boletins de Ocorrência individuais. Segundo a Polícia Civil, o procedimento já foi aberto e as investigações já começaram.

Apesar disso, Danilo e Cristhiane não nutrem muitas esperanças de que serão ressarcidos pelo prejuízo. “Nossa intenção principal é divulgar a má-fé deste casal”, pontua o professor. “Isso que eles fizeram é um descompromisso, uma injustiça. Casamentos têm um custo muito alto e são sonhos que estão sendo prejudicados por eles”, conclui.

A reportagem tentou contato com Morgan e Clidelia/Vitória pelos números de celular fornecidos por Danilo, assim como pelo telefone fixo da Vitória Santiago Eventos disponibilizado na Internet, mas nenhuma das ligações foi atendida.