Do Mais Goiás

Polícia fecha clínica suspeita de violência psicológica em Valparaíso

Clínica mantinha pacientes sob ameaça. Município fica no Entorno do DF

Polícia fecha clínica de reabilitação suspeita de violência psicológica
Polícia fecha clínica de reabilitação suspeita de violência psicológica (Foto: Divulgação/PC)

Uma operação da Polícia Civil fechou, nesta quarta-feira (24), uma clínica terapêutica de recuperação de usuários de drogas, em Valparaíso de Goiás. O local é acusado por pacientes de violência psicológica e ameaças para que os internados não saíssem de lá.

Uma das vítimas afirmou em depoimento à polícia que era constantemente ameaçada e dopada para que não fugisse do local. Um outra já teria sido liberada em fevereiro do ano passado, estando inclusive cursando uma faculdade, informação comprovada pela investigação. Mesmo assim, ela teria sido novamente internada, sem autorização, há cinco meses e ficado impedida de ter contato visual com outras pessoas ou sair da clínica.

Polícia fecha clínica de reabilitação suspeita de violência psicológica

O responsável pela clínica não apresentou nenhum documento que comprovasse ter preenchido os requisitos legais para poder internar pacientes (Foto: Divulgação/PC)

De acordo com a Polícia Civil, no local existem 25 pessoas internadas, mas apenas duas pacientes quiseram falar. “Já que não haviam algemas, nem muros altos, a violência psicológica era feita para manter os internados no local. Era dito que as famílias não queriam mais saber deles, caso saíssem pagariam caro por isso, que seriam levados para outro lugar em que não poderiam ver a luz do sol. Completamente ao contrário do que deveria ser uma clínica reabilitação, um local de acolhimento”, explicou a delegada Samya Noleto, responsável pelo caso.

Polícia fecha clínica de reabilitação suspeita de violência psicológica

Polícia fecha clínica de reabilitação suspeita de violência psicológica
(Foto: Divulgação/PC)

O responsável pela clínica não apresentou nenhum documento que comprovasse ter preenchido os requisitos legais para poder internar pacientes. Segundo a delegada, ele possui antecedentes por maus tratos, referente ao fechamento de outra clínica de reabilitação na mesma cidade. “Essa outra acusação é de um estabelecimento tido como filial da matriz que foi fechada agora”, detalha.

A clínica foi encerrada por manter os pacientes em cárcere privado e sob internação fraudulenta. O responsável pela fundação e manutenção da clínica terapêutica foi preso em flagrante, conforme os artigos 148 e 69 do código penal.