Rivalidade no tráfico

Polícia desvenda homicídio de traficante ocorrido em agosto na Feira da Lua

O executor do crime, Douglas Pereira Cardoso recebeu 50 gramas de crack e R$ 800 para matar Diego Jesus da Silva, vulgo “Pica-Pau”


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 06/09/2019 às 08:33:28

Douglas, apontado pelas investigações como autor do crime, confessou na DIH (Foto: divulgação/PC)
Douglas, apontado pelas investigações como autor do crime, confessou na DIH (Foto: divulgação/PC)

A Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH) concluiu a apuração sobre o assassinato do traficante Diego Jesus da Silva, conhecido como “Pica-Pau”, em 3 de agosto, na Praça Tamandaré, no Setor Oeste, em Goiânia, no momento em que acontecia a Feira da Lua. O suspeito de matar Diego confessou o crime na delegacia quando foi preso na semana passada e acusou Alexandre Higor, vulgo “Xandinho”, como mandante; morto em troca de tiros com a Polícia Militar cinco dias depois, em 8 de agosto. Com ele, a polícia encontrou dinheiro, droga e a arma do crime.

As investigações apontam que Diego Jesus da Silva e os dois investigados eram traficantes de drogas e integrantes de facções criminosas rivais atuantes naquela região. Além disso, a vítima e Douglas tinham uma briga antiga, desde que passaram a dividir a mesma cela na prisão.

A polícia aponta que a vítima teria saído da cadeia quatro dias antes de ser assassinado e voltou a traficar drogas na região, o que incomodou o grupo rival. Para manter o monopólio da droga, Alexandre Higor pagou a execução com 50 gramas de crack, R$ 800 em dinheiro e forneceu a arma usada no crime.

Obedecendo a ordem de Alexandre Higor, Douglas foi até o local e efetuou quatro disparos no momento que Diego repassou um pacote de droga a um usuário. A vítima morreu no local.