CASO DANILO

Polícia descarta adiamento e diz que reconstituição ‘foi realizada com sucesso’

Corporação não dará declaração sobre o assunto até a conclusão do inquérito, previsto para a próxima segunda (10)


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 06/08/2020 às 18:48:39

Momento que a viatura da PC deixa local da reconstituição (Foto: Jucimar Sousa)
Momento que a viatura da PC deixa local da reconstituição (Foto: Jucimar Sousa)

Em nota enviada à imprensa, a Polícia Civil (PC) descartou o adiamento da reconstituição e disse que a reprodução simulada dos fatos “foi realizada com sucesso”. Além disso, o texto destaca que as diligências ocorreram dentro da normalidade, mesmo com a não participação de Hian Alves de Oliveira, que ganhou uma liminar que o dispensava da reconstituição. Veja a nota completa no final do texto.

Segundo fontes ouvidas pelo Mais Goiás, a reprodução simulada foi baseada nas versões de testemunhas envolvidas no fato. Além disso, uma nova reconstituição é descartada, a não ser que Hian queira colaborar.

Ainda no texto, a PC afirmou que não vai se pronunciar nos próximos dias “para que todas as conclusões dos doutos peritos possam ser confrontadas com as provas e elementos informativos produzidos”. Além disso, garantiu que a conclusão do inquérito deve ocorrer na próxima segunda-feira (10).

Os policiais ficaram pouco mais de uma hora no local. Estavam presentes pelo menos 55 policiais — 30 da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), dez da Coordenadoria de Operações Especiais (CORE/GT3, grupo tático da Polícia Civil), além de outros dez agentes da Força Nacional e mais cinco peritos do Instituto de Criminalística. Na ação, os investigados pela morte do menino e as testemunhas participaram da reprodução simulada. A polícia considera a técnica essencial para esclarecer a dinâmica do crime.

A Avenida Seringueira, no Parque Santa Rita, foi isolada. Os policiais civis trabalharam na contenção de eventuais conflitos e aglomerações de populares. A imprensa não foi autorizada a fazer imagens ou gravações da reconstituição e teve que sair das proximidades.

Morte

Danilo foi encontrado morto de bruços em um lamaçal no dia 27 de julho, após ficar quase uma semana desaparecido. A perícia constatou que ele morreu por sufocamento.

No dia 31 de julho, a Polícia Civil prendeu o padastro de Danilo, Reginaldo Lima, de 33 anos, e Hian Alves, de 18 anos. Este confessou ter ajudado Reginaldo a matar o menino em troca de uma moto. O padastro, no entanto, nega a autoria e diz que há armação. Uma testemunha teria visto toda a dinâmica do crime.

Veja a nota completa da PC

NOTA À IMPRENSA – Caso Danilo

A Polícia Civil de Goiás informa que a reprodução simulada dos fatos, inerente ao Caso Danilo, foi realizada com sucesso na tarde de hoje (quinta-feira, 06). A diligência transcorreu dentro da normalidade, em que pese a opção circunstancial do suspeito Hian Alves de permanecer em silêncio.

A PCGO não se manifestará, nos próximos dias, para que todas as conclusões dos doutos peritos possam ser confrontadas com as provas e elementos informativos produzidos. Nesta esteira, todos os detalhes do caso serão apresentados quando da conclusão do inquérito policial, o que deverá ocorrer na segunda-feira (10).

A Delegacia Estadual de Investigações Homicídios (DIH) agradece o apoio diuturno recebido pelos peritos, médico legistas e auxiliares que tanto se dedicaram para o sucesso desta importante diligência.

Divisão de Comunicação e Cerimonial / PCGO