Operação Lex Dominus

Polícia desarticula grupo que atua no tráfico de drogas e armas em Goiás

Organização criminosa também atuava em crimes como roubos de cargas e homicídios. Suspeita é de que o grupo agia em diversos Estados do país


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 22/08/2019 às 09:57:30

Operação visa desarticular organização criminosa que atua no tráfico de drogas e armas em Goiás (Foto: Divulgação/PC)
Operação visa desarticular organização criminosa que atua no tráfico de drogas e armas em Goiás (Foto: Divulgação/PC)

Uma operação conjunta entre as polícias Civil, Militar, Rodoviária Federal e Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) cumpre 47 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão em Goiás. A ação, deflagrada nesta quinta-feira (22), pretende desarticular uma organização criminosa que atua no tráfico de drogas e armas no Estado. Grupo é investigado há cerca de seis meses.

Conforme informações preliminares da Polícia Civil (PC), o grupo também atuava em crimes como roubos de cargas e homicídios em Itaberaí. A suspeita é de que o grupo agia em diversos Estados do país. Até o momento, 41 pessoas foram presas.

Denominada de “Lex Dominus”, a operação é realizada em ao menos 13 municípios de Goiás e conta com a participação de 300 policiais. Um helicóptero do Grupo de Radiopatrulha Aérea da PM (Graer) também participa da ação.

Ainda de acordo com a PC, alguns dos presos operavam o esquema da organização criminosa de dentro da cadeia. Da quantidade detida até agora, dez já integravam o sistema prisional do Estado. Outros três haviam sido soltos recentemente e foram presos novamente. Operação também resultou na apreensão de quatro armas de fogo.

DGAP

Por determinação do Diretor-Geral de Administração Penitenciária, Coronel Urzêda, 103 agentes penitenciários participaram previamente do planejamento da operação junto às forças policiais, e realizaram procedimentos de segurança prisional em celas dos presídios, em que estão os presos alvo da operação. As escoltas dos presos das unidades prisionais das cidades do interior estão sendo realizadas pelo Grupos de Operações Penitenciárias Especiais (GOPE) e de Intervenção Tática (GIT) para a Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (DECAR)

Para Uzêda, o trabalho conjunto desenvolvido com as forças policiais reflete o esforço da administração penitenciária no controle da segurança dentro das unidades prisionais em Goiás. “Além das rotinas e procedimentos de segurança dentro das unidades prisionais, rotineiras e freqüentes, são desenvolvidos também os trabalhos da Inteligência Penitenciária que, de maneira substancial e fundamental, auxiliam as forças policiais nas investigações sobre crimes praticados pela população carcerária e resultam nas responsabilizações legais e em operações desta natureza”, disse.