Larissa Feitosa
Do Mais Goiás

Polícia conclui inquérito sobre assassinato de estudante de 24 anos em Formosa

Natália Nunes Moura, de 24 anos, deixou a filha com uma amiga e desapareceu após se encontrar com um homem de 44 anos;

O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Formosa concluiu, nesta quarta-feira (25), as investigações da morte da estudante Natália Nunes Moura, de 24 anos. Um exame feito numa ossada, encontrada no fim de outubro, numa zona rural da cidade, comprovou que o material era da jovem. Suspeito está preso preventivamente e será indiciado por homicídio.

Natália desapareceu no dia 1º de outubro deste ano, quando teria saído de casa para buscar uma quantia em dinheiro com um homem. De acordo com a polícia, os ossos foram encontrados a cerca de 800 metros do ponto de ônibus onde a jovem teria se encontrado com o suspeito. O homem, que mora perto do local, mantinha contato frequente com a estudante.

Os restos mortais foram encontrados com marcas de mordidas de cachorro, que aconteceram depois da vítima já estar sem vida, segundo os policiais. De acordo com o delegado do caso, Danilo Meneses, acredita-se que o autor não tenha utilizado nenhuma arma branca ou de fogo.

“Acreditamos que tenha sido por sufocamento, algo com o pescoço. Já que não foi encontrado muitos resquícios de sangue”, afirma Meneses. Nas proximidades do local, ainda foi encontrado um laço, típico de roupa íntima feminina.

O delegado afirma também que ainda não se sabe a motivação crime. “Nós imaginamos que eles tenham discutido, já que eles se conheciam e tinham proximidade, foram vizinhos por um tempo”, disse.

Acusação

Inicialmente, a 2º Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Formosa ficou responsável pela investigação do desaparecimento de Natalia. Mas, após suspeitas de que a vítima teria sido assassinada, caso ganhou novo rumo. O suspeito do crime deverá responder por homicídio. Ele nega as acusações.