Investigações

Polícia Civil vai ouvir familiares do atirador do Crimeia Leste e de suas vítimas na próxima semana

Delegado também vai ouvir depoimentos das três mulheres feridas assim que elas receberem alta




A Polícia Civil continua a ouvir testemunhas do crime brutal ocorrido no Setor Crimeia Leste, em Goiânia, na última quinta-feira (6). O delegado Matheus Costa Melo, da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH), afirma que pelo menos cinco familiares das vítimas e do autor do ataque devem ser ouvidas na semana que vem.

“Deixamos as oitivas para a próxima semana até mesmo por motivo de respeito ao luto dessas pessoas”, afirma Matheus. Segundo ele, as três mulheres que estão hospitalizadas desde o ataque também serão ouvidas quando receberem alta.

Estado de saúde

A ex-esposa do agressor, Lidiane Gomes Reis Medrado, de 31 anos, está em estado grave. Ela está sedada, intubada e permanece internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

A irmã dela, Lídian Gomes Reis, de 29 anos, está em estado gravíssimo. A paciente também está intubada, sedada e internada na UTI.

A mãe delas, Maria de Jesus Gomes Reis, de 56 anos, permanece em estado grave. Ela também está intubada em uma UTI, mas não está sedada.

O ataque

As três mulheres foram feridas por um homem que atirou contra a própria família na manhã desta quinta-feira (6) no Setor Crimeia Leste, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, o homem teria atirado contra a mulher, a filha, a cunhada e a sogra, e depois se suicidou.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a filha do homem e de Lidiane, de 7 anos, morreu no local. O atirador, David da Silva Medrade, também veio a óbito.

Segundo as apurações iniciais, o motivo para o crime seria o fato de David não aceitar o término do relacionamento com Lidiane.