Do Mais Goiás

Polícia Civil identifica bar com caça-níqueis, R$ 80 mil em freezer, e açaí com droga em Anápolis

Além de apostas, caminhoneiros procuravam o local e compravam açaí batido com ‘rebite’. Tudo funcionava dentro do Ceasa.

Todo o material ilícito foi apreendido na ação realizada pelo 1º e 2º DP. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Durante operação, a Polícia Civil localizou no Ceasa em Anápolis um bar onde ocorria a prática de jogos de azar com caça-níqueis, R$ 80 mil escondidos dentro de freezer, e a venda de açaí misturado com droga derivada de anfetamina.

A ação ocorreu na terça-feira (14) com atuação do 1º e 2º Distrito Policial. Ao todo cinco pessoas, incluindo o proprietário do estabelecimento, 46 anos, foram identificados.

De acordo com o delegado Jorge Bezerra, cinco máquinas caça-níqueis estavam instaladas ao lado do bar, e lá havia três apostadores. Tudo funcionava dentro do Mercado do Produtor, o Ceasa.

“Encontramos as chaves das máquinas, e anotações dos valores recebidos. Com isso, o dono do bar acabou confessando que era o responsável”, disse o delegado em entrevista ao Mais Anápolis.

Bar foi identificado após denúncia anônima. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Durante buscas, caixas de cigarros de comercialização proibida, diversos bilhetes de jogo do bicho, dinheiro em espécie, e máquinas de cartões foram apreendidos no estabelecimento.

“Além disso, encontramos cápsulas de ‘rebite’ (droga derivada da anfetamina) que segundo o dono do bar, ele batia essa droga com açaí para os caminhoneiros tomarem e dirigirem sem dormir”, explicou.

Segundo a Polícia Civil, cerca de R$ 80 mil em espécie estavam escondidos dentro de um freezer destinado à venda de sorvetes.

“Encontramos o dinheiro escondido dentro de um freezer com sorvetes e picolés. Os pacotes com as notas estavam embalados, inclusive com cédulas de R$ 200”, disse.

 

Notas apreendidas eram provenientes das apostas dos jogos de azar. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Em razão do apurado, foi realizada a lavratura de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra o responsável do bar pela exploração dos jogos de azar, e contra os apostadores que estavam no local.

A suposta posse ilegal da substância conhecida como ‘rebite’ será apurada através de investigação criminal.