Do Mais Goiás

Detran-GO inicia intensificação de blitze da Lei Seca

Neste ano, apenas na última semana, fiscalização flagrou 305 motoristas dirigindo sob influência de bebidas alcoólicas no Estado

O Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), em parceria com o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, está intensificando desde a última semana as blitize do programa Balada Responsável. O objetivo é fiscalizar e punir motoristas que fazem uso de bebidas alcoólicas antes de dirigir.

A operação levou blitzes a várias regiões de Goiânia desde terça-feira (23). Durante as blitzes, até o último domingo (28), foram abordados 1.288 veículos e 1.654 pessoas em Goiânia. Também foram lavrados 424 autos de infração de trânsito, recolhidas 118 CNH’s e aplicados 1.549 testes de etilômetro.

O Balada Responsável flagrou 305 condutores dirigindo sob influência de bebidas alcoólicas na última semana. Desses, 303 foram autuados e outros 2 presos, pois os índices registrados pelo bafômetro estavam acima dos 0,34 miligrama de álcool por litro de ar alveolar expirado (0,34 mg/L).

De acordo com o Detran-GO, durante todo o ano de 2017, a operação conseguiu identificar 1.627 motoristas dirigindo alcoolizadas no Estado. No entanto, 7.238 se negaram a passar pelo teste do bafômetro.

O condutor flagrado nas blitze de fiscalização dirigindo sob influência de álcool é autuado, conforme determinação do artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Ele deverá pagar multa, terá a CNH recolhida e responderá processo que pode resultar na suspensão de até 12 meses do direito de dirigir. O veículo também fica retido até que seja apresentado um outro motorista, devidamente, habilitado.

A resolução também estabelece que, caso seja constatado pelo bafômetro valor igual ou superior a 0,34 miligramas por litro de ar (descontada a margem de erro), ou se o exame de sangue marcar resultado igual ou superior a 6 (seis) decigramas de álcool por litro de sangue (6 dg/L), o motorista deve ser enquadrado em crime de trânsito. Além das punições administrativas, ele será preso em flagrante, podendo pegar de 6 meses a três anos de detenção.