Cidades

Polícia Civil autua quatro famílias por maus-tratos e exploração infantil, em Goiânia

Ao todo, foram encontradas sete crianças com idades entre 5 e 12 anos em cruzamentos da capital. Elas vendiam balas e doces nas imediações dos semáforos


Jessica Santos

Do Mais Goiás | Em: 22/03/2019 às 11:59:36


(Foto: Divulgação/Polícia Civil)
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Quatro famílias foram autuadas pela Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia por exploração do trabalho infantil, maus-tratos e outros crimes menores. Ação foi realizada em conjunto com o Conselho Tutelar, nesta quinta-feira (21), nos setores Jardim Europa, Jardim América e Novo Mundo. Objetivo é coibir práticas nas quais crianças e adolescentes fiquem expostos aos mais diversos riscos.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Ana Elisa Gomes, a operação, lançada no Dia Mundial da Infância, comemorado em 21 de março, faz parte de um novo modelo de atuação da especializada. “Nós recebemos as denúncias dos conselheiros tutelares e fizemos um levantamento dos locais indicados por eles. Optamos por regiões com grande fluxo de carro e nos deparamos com as situações relatadas”, disse.

Ao todo, foram encontradas sete crianças com idades entre 5 e 12 anos em cruzamentos da capital. Elas vendiam balas e doces nas imediações dos semáforos. Algumas delas pediam dinheiro para os motoristas. A delegada conta que uma das vítimas trabalhava limpando vidros de carros na mesma rua em que mora. “Verificamos essa situação e fomos até a residência da criança. Lá, nós encontramos a mãe que parecia não se importar com a situação. A justificativa desta e de outras famílias foi a dificuldade financeira e que os filhos trabalhavam pelo sustento da casa.”

Por meio de denúncia anônima, a operação também localizou uma oitava criança vítima de maus-tratos. Os policiais constataram vários hematomas por todo o corpo da criança, que também foi levada à delegacia junto com os familiares.

De acordo com Ana Elisa, todas as vítimas estão matriculadas na escola. Uma delas, no entanto, não frequenta as aulas. As outras estudam em um período e trabalham posteriormente. O Conselho Tutelar irá apurar a situação escolar de todas. As crianças e os responsáveis foram encaminhados à DPCA, onde foram autuados por maus-tratos, exploração de trabalho infantil e abandono intelectual e liberados em seguida. As famílias serão acompanhadas, e em caso de reincidência, os responsáveis poderão perder a guarda das crianças.

Ainda conforme a delegada, a polícia irá continuar atuando nas ruas na tentativa de coibir tais práticas. “Nossa intenção é trazer essa discussão para a sociedade. Lugar de criança é na escola, na recreação, tendo apoio. Solicitamos ajuda primeiro para evitar de dar dinheiro para essas crianças. Segundo, se alguém vir essa situação que anote o endereço e faça denúncia no Disque 100”, pediu.