Investigação

Polícia ainda não sabe quem matou morador de prédio de luxo

Criminoso que torturou Fabrício Carvalho antes de executá-lo roubou televisão, computador e veículo da vítima





//

Imagens das câmeras de segurança do Edifício Modernidad, no setor Alto da Glória, em Goiânia, podem ajudar a polícia a identificar o assassino de Fabrício Carvalho dos Santos, de 28 anos. Com os pés e braços amarrados com arame, a vítima foi encontrada com marcas de tortura e um tiro no rosto no banheiro do apartamento de alto luxo onde morava sozinho.

Foi um amigo de Fabrício, que praticava musculação todos os dias com ele, quem desconfiou quando, na noite de ontem, ele não apareceu para malhar e nem atendia as ligações. Ao chegar no apartamento, por volta das 22 horas, este amigo, que não teve o nome divulgado, encontrou a porta destrancada e da sala percebeu que Fabrício estava morto no banheiro, ocasião em que acionou a polícia.

Pelas marcas no rosto, a perícia constatou que antes de morrer Fabrício foi torturado, levou pancadas na cabeça e teve o queixo cortado com uma faca. O tiro dado à queima roupa atingiu o nariz da vítima. Ao lado do corpo, peritos encontraram o cartucho de uma pistola enrolado em uma camisa, o que mostra que o assassino tentou abafar o som do disparo.

As imagens que já estão em poder da Delegada Myriam Vidal, adjunta da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH) mostram que alguém saiu com o Jetta da garagem do prédio às 09h57 de ontem. Nesta imagem não é possível ver quem dirigia o veículo, mas a delegada já solicitou outros vídeos que mostram a movimentação interna do edifício, incluindo as pessoas que entram e saem nos elevadores.

Tópicos