CELERIDADE

Policarpo defende tramitação do Plano Diretor ainda em 2020

Presidente da Câmara diz que nova legislatura pode demorar mais dois anos para aprovação


Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás | Em: 29/09/2020 às 12:34:09

Romário Policarpo (Foto: Câmara de Goiânia)
Romário Policarpo (Foto: Câmara de Goiânia)

O presidente da Câmara Municipal, Romário Policarpo (Patriota), defende a tramitação da revisão do Plano Diretor de Goiânia ainda para 2020. No entanto, o parlamentar salienta que é necessário passar o período eleitoral para uma efetiva discussão da matéria na casa legislativa.

Policarpo afirma que é importante que a revisão seja votada ainda nesta legislatura. Pois, segundo ele, o novo prefeito levaria até dois anos para aprovação.

“Depende muito mais da prefeitura e dos vereadores para que seja votado. Já me posicionei contrário à votação da revisão durante período eleitoral”, disse.

“Entendo, entretanto, a importância de ele ser votado durante essa legislatura, justamente por que um novo prefeito levaria de um a dois anos para aprovar a matéria, que já está atrasada”, reforça.

A tramitação do projeto está parada depois que o líder do governo, Welligton Peixoto (DEM), pediu vistas durante sessão da Comissão Mista na semana passada. Na última sexta-feira (25), o prefeito Iris Rezende (MDB) pediu à Câmara Municipal que devolvesse o projeto para reanálise.

Macrozonas

O imbróglio está relacionado à polêmica de inclusão por um grupo de vereadores de expansão das macrozonas de Goiânia. Alguns vereadores afirmam que não sabiam exatamente sobre o que estavam referendando ao assinarem o documento.

A inclusão permitiria quea urbanização da capital chegasse a áreas hoje consideradas rurais, criando uma cidade mais espraiada, mas com mais possibilidade de adensamento, fenômeno criticado por moradores do Setor Sul e Jaó, por exemplo.

Policarpo diz ser favorável a algumas expansões, desde que respeitada a legislação ambiental. “Atendendo critérios de infraestrutura e trânsito é possível construir em mais locais da cidade”, avalia.

A revisão do Plano Diretor deveria ter sido realizada em 2016.