Roubo a banco

PM prende suspeitos que explodiriam banco em Silvânia

Com os três suspeitos presos, dois deles foragidos da Justiça, os militares encontraram explosivos, um fuzil, uma escopeta e 334 munições de grosso calibre




Após receberem uma denúncia anônima, policiais militares do 28º BPM de Anápolis e do Grupo de Rádio Patrulha Aérea (Graer) prenderam três suspeitos que explodiriam caixas eletrônicos de uma agência bancária no interior do Estado na madrugada desta sexta-feira (02). Com eles, os militares apreenderam um fuzil, uma escopeta e mais de 330 munições de grosso calibre.

Foragido da Justiça, e mais conhecido pelo apelido de “véio Lourenço”, Laurêncio Francisco da Silva, de 48 anos, foi seguido por militares do Serviço de Inteligência depois que saiu de Anápolis, na manhã desta quinta-feira, em um veículo Fiat Pálio. No momento em que o suspeito se encontrou com Edvan Esteves, de 43 anos, em Goiânia, os dois foram abordados pelos policiais.

Após confirmarem que estavam foragidos, Laurêncio e Edvan levaram os agentes até uma residência no Bairro Cardoso, em Aparecida de Goiânia, onde mantinham um pequeno arsenal. No imóvel, os policiais apreenderam duas bananas de dinamite – já prontas para serem usadas, um fuzil calibre 5.56, seis carregadores, uma espingarda calibre 12, 334 munições, luvas, toucas ninja, redes de selva e materiais para acampamento. De acordo com o que apurou a PM, 180 munições seriam para o fuzil, e 154 para a escopeta.

Em outra residência, no Bairro Hilda, também em Aparecida de Goiânia, os PMs prenderam Thiago Henrique Souza Silva, de 28 anos, que tem passagens por roubo, e segundo os comparsas, seria dono de parte do arsenal apreendido. Ele também, segundo a polícia, participaria do ataque.

 De acordo com o major Pedro Henrique Batista, comandante do Graer, os três presos confirmaram que atacariam uma agência da Caixa Econômica Federal na cidade de Silvânia. “Eles confessaram que já haviam monitorado a agência de Silvânia durante toda esta semana, e disseram ainda que já estavam combinando os últimos detalhes de como agiriam e horário em que sairiam de Goiânia quando foram abordados por nossas equipes no hipermercado”, relatou.

Pelo menos mais dois criminosos já identificados, ainda de acordo com o comandante do Graer, também participariam do ataque. Estes suspeitos ainda não foram localizados. Laurêncio, Edvan e Thiago foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Goiânia onde acabaram autuados em flagrante por porte ilegal de arma de fogo, munições e explosivos de uso restrito e associação criminosa.