Laylla Alves
Do Mais Goiás

PM prende suspeito de comercializar vacina contra covid em Senador Canedo

Vacinas teriam sido desviadas do Hugol

As doses da Coronavac vendidas por um homem em Senador Canedo foram furtadas da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO)(Foto: Reprodução/Polícia Militar)
As doses da Coronavac vendidas por um homem em Senador Canedo foram furtadas da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO)(Foto: Reprodução/Polícia Militar)

Em operação conjunta com a Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Senador Canedo, a Polícia Militar (PM) prendeu um homem suspeito de comercializar vacinas contra covid-19 nesta quarta-feira (7). A prisão aconteceu no Jardim das Oliveiras.

Marta Damásio, comandante da GCM de Senador Canedo, relatou que os guardas receberam a infomação de que doses da vacina usada contra a covid-19 estavam sendo comercializadas no município por R$ 400. Em contato com a PM, os agentes conseguiram localizar e prender o responsável pelas vendas. Em nota enviada ao Mais Goiás, a prefeitura de Senador Canedo diz que o furto abrangeu 20 frascos com 200 doses de vacina.

Questionado pelas autoridades sobre a origem do imunizante, ele disse que as vacinas teriam sido desviadas do Hospital de Urgências Otávio Lage de Siqueira (Hugol) por um funcionário do local, mas não citou nomes.

Também em nota, o Hugol disse que o hospital ficou responsável apenas pela disponibilidade da estrutura física apropriada e pela organização e fluxo dos profissionais para vacinação. Disse, também, que não recebeu doses para armazenamento na instituição.

Leia a nota na íntegra:

O Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), unidade da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES), esclarece que as campanhas de vacinação interna contra a covid-19 da unidade foram realizadas nos meses de janeiro a março, e as doses da vacina foram transportadas, manipuladas, aplicadas e gerenciadas por equipes de vacinação da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia e pela Secretaria Estadual de Saúde de Goiás, acompanhadas pela Guarda Civil Municipal durante todo o período de vacinação. O hospital ficou responsável apenas pela disponibilidade da estrutura física apropriada e pela organização e fluxo dos profissionais para vacinação. O Hugol reforça que não recebeu doses para armazenamento na instituição.