Disparos

PM de folga atira contra cabeça de autônomo após briga em posto no Parque Amazônia

Segundo testemunha, policial chegou alterado querendo se enturmar. Como não recebeu atenção se irritou e começou a atirar


Hugo Oliveira

Do Mais Goiás | Em: 11/08/2018 às 17:49:19


Sílvio César da Costa Júnior, autônomo de 27 anos. (Divulgação/PM)
Sílvio César da Costa Júnior, autônomo de 27 anos. (Divulgação/PM)

Um policial militar (PM) em formação foi preso na madrugada deste sábado (11) por atirar contra a cabeça de Sílvio César da Costa Júnior, autônomo de 27 anos, durante uma briga em um posto de combustíveis no Parque Amazônia. O agente Bruno Correia de Araújo, que estava em seu horário de folga, teve sua arma retida e, detido, foi encaminhado à Central de Flagrantes. A vítima foi levada ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde permanece na UTI, em estado gravíssimo.

Um amigo que estava com César no momento do disparo afirmou à Polícia Civil que o imbróglio com o PM teve início quando este chegou ao estabelecimento “muito alterado” e tentou se enturmar com o grupo onde estava a vítima. Como ninguém deu atenção, o homem se irritou, sacou a arma e começou a atirar.

Héberson de Souza afirmou que levou uma coronhada e, durante a confusão, todo mundo correu. “Ele correu atrás da gente com a arma. Eu corri na frente e só escutei o tiro. Quando olhei para trás, vi que ele tinha atirado no Júnior”.

Em nota, a assesoria de comunicação da PM afirmou que uma viatura do 7° batalhao foi acionada por volta das 5h40 para atender uma ocorrência de “vias de fato”.

“No local, foi identificado um Policial Militar que estava de folga, sendo informado pelo mesmo que uma vítima fora atingida por disparo de arma de fogo e tinha socorrida para o Hugo. Foi feita a condução do policial até a Central de Flagrantes, ficando à disposição da Policia Judiciaria para realização dos procedimentos legais”.

“Bebeu muito”

Ao Mais Goiás, o instrutor de tiro da Academia da PM, Major Murilo Felício, e liderança da mesma unidade à qual Bruno pertencia, afirmou que Bruno estava prestes a concluir o curso de formação da corporação.

“Chegou na minha unidade há uma semana. Ele terminou a pós-graduação em Segurança Pública e está em fase de estágio probatório, na reta final para a formatura. No local do crime, tentamos puxar as filmagens, mas estão fora da linha de ação.
Ele admitiu os disparos, e foi para a delegacia onde recebeu o flagrante”.

Segundo o major, o detido estava de folga e “bebeu muito”. Para ele, o problema não tem como ser associado à falhas na formação do policial.

“Bebeu, se descontrolou e surtou. Não tem a ver com má formação. Temos primado muito por melhorar a formação, realizar os melhores treinamentos. Existe coisas interiores que são difíceis de se prever. Às vezes, quando era melhor abrir mão da vaidade, ele resolveu por pra fora todos os seus conflitos interirores”, avalia.

*Com informações do G1 Goiás