Violência

PM atira contra empresário após discussão por celular e trânsito em pastelaria de Goiânia

Policial, que estava sem farda, cumpre funções administrativas, usava arma particular e foi liberado após depoimento; vítimas temem pela segurança. Testemunhas afirmam que disparos colocaram em risco fiéis que saíam de culto


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 06/08/2019 às 12:32:47

Sargento sem farda entrega arma à PM após atirar contra empresário (Foto: Rprodução)
Sargento sem farda entrega arma à PM após atirar contra empresário (Foto: Rprodução)

Um sargento da Polícia Militar abriu fogo contra um empresário depois de uma discussão em uma pastelaria do Setor Fama, em Goiânia. O caso ocorreu na noite de segunda-feira (5), na frente de uma igreja da Assembleia de Deus, que realizava culto com o famoso pastor Claudio Duarte. Depois do evento, que solicitou bloqueio de uma das ruas adjacentes para dar lugar aos carros dos fieis, o policial iniciou uma discussão com duas pessoas em uma pastelaria próxima, a qual resultou em uma batida de veículos e disparos de arma de fogo. Ele prestou depoimento na Central de Flagrantes, foi liberado e o caso será investigado pelo 3º Distrito Policial.

A confusão teve início, segundo testemunhas que não quiseram ter seus nomes revelados, depois que alguns carros bloquearam a passagem do carro do PM José Messias de Souza, que estava sem farda e fora de serviço. Ele identificou um dos motoristas que seriam responsáveis pelo congestionamento e ficou nervoso. Segundo testemunhas, o policial foi agressivo e mostrou uma arma para um vendedor de pasteis de 48 anos, que estava com o carro estacionado na rua.

Enquanto tomava satisfação com o comerciante, o policial esbarrou em um empresário de 43 anos, que deixou seu celular cair e quebrar. O empresário tentou conversar com o sargento, que, segundo registro da Polícia Civil, disse já ter “quatro mortes e que mais uma não seria problema”. Até esse momento, José Messias não havia informado a nenhuma das pessoas que era policial.

Com isso, o empresário entrou em seu carro, um Porsche Cayenne branco, e tentou bloquear a saída de José Messias para a chegada da polícia, uma vez que havia sofrido ameaça e teve o celular danificado. José Messias avançou contra o carro do empresário, provocando uma batida, consta no documento.

Depois da colisão, o sargento sacou uma arma e efetuou vários tiros contra o carro do empresário. O veículo, entretanto, era blindado e o homem não se feriu. De acordo com a vítima, o policial também atirou na direção de membros de sua família que estavam próximos à barraca de pastel. Algumas pessoas se feriram sem gravidade tentando escapar dos tiros, afirmou uma pessoa que não quis se identificar.

Viaturas da PM que estavam local chegaram rápido e abordaram o José Messias, que se identificou como sargento. A vítima prestou depoimento na Central de Flagrantes. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o sargento José Messias também prestou depoimento, foi liberado e o caso será investigado pelo 3º Distrito Policial. Os carros do policial e do empresário foram periciados na manhã dessa terça-feira (6).

Tanto o comerciante de pasteis quanto o empresário estão assustados com a ação do policial militar. Os dois afirmam que não sabiam quem era o homem, que se mostrou descontrolado. O comerciante disse temer por sua segurança, uma vez que trabalha em eventos públicos.

A PM afirmou em nota que será instaurado um procedimento administrativo disciplinar para apurar os fatos, simultaneamente ao inquérito já instaurado pela Polícia Civil e que a arma utilizada no caso era particular. De acordo com a PM, o sargento José Messias já exercia atividades administrativas e permanecerá nesta função até a conclusão dos procedimentos de apuração. A PM não informou os motivos de o policial estar afastado em funções administrativas.