Rio de Janeiro

Playboy, traficante mais procurado do Rio, é morto em operação da polícia

Playboy estava foragido pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e homicídios. Por ele, era oferecida uma recompensa de R$ 50 mil.





//

O traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, foi morto em uma operação no Morro da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio, na tarde deste sábado. Os agentes souberam que o traficante mais procurado do Rio de Janeiro estava na casa da namorada.

A operação contou com 80 policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Federal e da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar, além de veículos blindados e um helicóptero.

Houve troca de tiros entre os agentes e os seguranças do chefe do tráfico do Morro da Pedreira, que fugiram pela mata. Playboy também efetuou alguns disparos contra os policiais e fugiu pelos fundos da casa, onde há um terreiro de candomblé em que ele foi atingido. Na residência, uma pistola e fuzil foram apreendidos.

Playboy foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o traficante chegou morto à unidade. O corpo está no necrotério e aguarda a remoção para o Instituto Médico Legal (IML).

Playboy estava foragido pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e homicídios. Por ele, era oferecida uma recompensa de R$ 50 mil.

Logo após a morte de Playboy, fotos impressionantes que mostram o bandido ferido começaram a circular pelo WhatsApp e redes sociais.