Do Mais Goiás

Pit Dogs são reconhecidos como patrimônio cultural e imaterial de Goiânia

Com o reconhecimento, os estabelecimentos, que já fazem parte da cultura de todo o estado, esperam superar antigos preconceitos

(Foto: Reprodução)

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos) sancionou nesta terça-feira (8) uma lei municipal que estabelece os pit dogs como patrimônio cultural e imaterial da capital. A assinatura foi celebrada em um evento restrito no Paço Municipal e contou com a presença de representantes do setor, parlamentares e membros da gestão

Ao sancionar a lei, o prefeito afirmou que “quem em Goiânia nunca comeu um pit dog não sabe o que está perdendo”. Na ocasião ele também declarou que a nova legislação é importante para valorizar e reconhecer o setor. “Goiânia já deveria ter tido essa lei há muitos anos. Os nossos pit dogs são citados em todo o Brasil”.

De acordo com o Sindicato dos Proprietários de Pit Dog do Estado de Goiás, existem cerca de 1.600 pit dogs de Goiânia, que empregam mais de 25 mil pessoas. O presidente da entidade, Ademildo Pereira de Godoy, disse ao Mais Goiás que o primeiro foi montado há mais de 50 anos.

“Hoje é o dia mais importante para nós daqui de Goiânia”, disse Ademildo. “Porque esse tipo de coisa não se compra. Respeito, valorização. Nós fazemos parte da cidade, nós também somos da cidade. Somos democráticos, atendemos as classes A, B, C, D e até a E”.

Dificuldades

O presidente afirmou também que a nova lei pode ajudar a combater preconceitos enfrentados pelo setor até hoje. “Ainda tempos que combater o preconceito que existe contra nós. A coisa mais difícil para um dono de pit dog é conseguir uma linha de crédito. A gente tem CNPJ, tem tudo, mas não consegue. Não é o governo, não é a prefeitura, é no próprio banco”.

Outro problema citado pelo presidente é a dificuldade que os estabelecimentos estão enfrentando durante a pandemia. Ele explica que os produtos estão mais caros e que as taxas cobradas pelos aplicativos de entrega estão apertando o orçamento dos proprietários.

“A pandemia nos afetou muito. Muitos locais fecharam e agora não estão conseguindo voltar. O preço de tudo também subiu muito. Além disso, as pessoas não podem sair de casa e com os aplicativos de entrega temos que pagar uma taxa de 28%. Sabemos que isso veio para ficar, mas está difícil”.

Apesar dos problemas, o presidente prometeu uma festa para comemorar o reconhecimento dos pit dogs na capital.

“Ainda não podemos fazer por causa da pandemia, mas no aniversário de Goiânia do ano que vem vamos fazer uma grande festa e doar sanduíches para a população. Esse momento é muito emocionante. Eu sei o tanto que foi difícil. Graças a Deus conseguimos”.