Pesquisa: gestão municipal de Vianópolis acumula 93% de aprovação

Issy Quinan conclui oito anos na administração municipal; Entre as medidas desenvolvidas nesse período está a estruturação fiscal da cidade

O prefeito de Vianópolis, Issy Quinan (PP) finaliza o oitavo ano de mandato. Ele foi eleito em 2012 e reeleito em 2016. O gestor avalia que um dos pontos fundamentais da gestão está o ajuste fiscal, diminuindo a dependência do Município de repasses do Estado e da União e a aumentando aplicação dos recursos próprios em prestação de serviços. As mudanças, segundo ele, o conduziram a uma aprovação popular de 93% nesta reta final, conforme apuração do Instituto Santa Dica.

Issy Quinan avalia que as administrações municipais enfrentam diversas dificuldades, mas que o gestor ao ser eleito, não pode ficar apenas reclamando das limitações, mas procurar alternativas para superar os problemas. Nesse sentido, ele destaca que a principal medida realizada foi uma reforma tributária. Ao Mais Goiás, ele explicou que um dos problemas da cidade era que “administrações anteriores não valorizavam as receitas próprias, e isso provocava renúncia de receita”.

No entanto, uma das saídas encontradas foi a de reestruturar o pagamento de tributos. Segundo o prefeito, houve um incremento das receitas de impostos como o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e o ITU (Imposto Territorial Urbano), além do ISS (Imposto Sobre Serviços). Issy Quinan explicou que, inicialmente, foi considerada impopular, mas ele entendia que era uma questão necessária para aumentar a capacidade financeira e administrativa da gestão municipal de Vianópolis.

“As administrações anteriores não julgavam arrecadações próprias, por exemplo, o ITU, o IPTU, o ISS. Fizemos um trabalho tributário no sentido de reestruturar todos os tributos. Em um primeiro momento ficou parecendo uma medida antipática, mas tínhamos a consciência era que aquilo era necessário e o Município precisava receber aquilo que era de direito dele e reverter isso numa boa prestação de serviços”, explicou Quinan.

Aprovação

O prefeito argumentou que foram diversas carências enfrentadas ao longo da gestão. Ele destacou a pavimentação asfáltica que foi superior a realizada no 64 anos de emancipação de Vianópolis. Outra situação foi a reestruturação das unidades locais de saúde, além da requalificação de planos de carreira dos servidores.

Issy Quinan entende que o trabalho realizado acabou refletindo na mencionada aprovação. “Ao final do trabalho, o resultado é esse mostrado por pesquisas feitas em Vianópolis, uma aprovação de 93%”, diz satisfeito.

Futuro político

Nos primeiros anos de mandato, Issy Quinan além de ser prefeito de Vianópolis também foi vice-presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM). Esteve em contato com muitos prefeitos e outros líderes municipais, bem como com parlamentares a nível estadual e federal. O gestor estuda diferentes possibilidades políticas para 2022.

“É natural que essas relações sejam mantidas, para num futuro próximo, quem sabe, possa aí apoiar algum projeto ou fazer parte de um plano com amplitude a nível de estado”, finalizou.

Leia abaixo a entrevista completa com o prefeito de Vianópolis:

Mais Goiás:  Quanto à finalização do seu mandato, o senhor chega com índice de aprovação superior a 90%. O que se deve isso?

Quinan: Se deve ao trabalho, ao comprometimento que tivemos aqui ao longo dos anos e durante os anos que exerço a chefia do executivo municipal, sempre pautei as ações no interesse coletivo. Quando todos trabalham nessa perspectiva de contemplar de interesse público, as coisas acontecem e a população reconhece.

Mais Goiás:  Muitas administrações municipais têm passado dificuldades por conta de ajustes financeiros, quedas de repasses da União, do Estado, como o senhor tem tratado esse tipo de questão em Vianópolis?

Quinan: Olha, as dificuldades que os municípios enfrentam são crônicas, à medida em que você disputa uma eleição se sagra vitorioso e assume o mandato, aí já não é mais hora de ficar reclamando das limitações administrativas ou financeiras que existem. Elas precisam ser superadas. Precisa se de valer de boas parcerias, lançar mão de ferramentas que estão ao seu alcance para cumprir com os compromissos que você assumiu com a comunidade no período eleitoral.

Mais Goiás: E como foi esse trabalho em Vianópolis para dar a sustentabilidade financeira necessária?

Prefeito Issy Quinan: Olha, fizemos um ajuste fiscal importante no início do mandato, passamos a não renunciar mais da arrecadação que é direito do município e que outras administrações não davam tanta importância, um dinheiro fundamental para honrar com os compromissos no municípios. E pudemos imprimir um ritmo forte de trabalho. Há muitos desafios a serem cumpridos, mas conseguimos achar muitas alternativas necessárias.

Mais Goiás: Esse trabalho fez com quem o Município diminuísse a dependência de outros tipos de receita?

Quinan: As administrações anteriores não julgavam arrecadações próprias, por exemplo, o ITU, o IPTU, o ISS. Fizemos um trabalho tributário no sentido de reestruturar todos os tributos. Em um primeiro momento ficou parecendo uma medida antipática, mas tínhamos a consciência era que aquilo era necessário e o Município precisava receber aquilo que era de direito dele, e reverter isso numa boa prestação de serviços.

Mais Goiás:  Quais eram as principais carências do Município que foram enfrentadas com mais peso?

Quinan:  Aqui no Município existiam carência em todos os setores da administração pública. Fizemos ao longo dos anos mais pavimentação asfáltica do que existia em 64 anos de emancipação de Vianópolis. Pude reconstruir todas as unidades de Saúde, fizemos uma rede de proteção social ampla e houve investimento na qualificação profissional. Tivemos muito propósito para reurbanizar espaços públicos que estavam ociosos. Tivemos o compromisso assumido em campanha de arcar com plano de carreiras dos servidores e os trabalhadores nos ajudaram bastante. Ao final o resultado é este mostrado por pesquisas feitas em Vianópolis, uma aprovação de 93%.

Mais Goiás: Como esse final de gestão foi impactado pela crise do coronavírus?

Issy Quinan: Isso aí tem gerado um impacto muito forte, principalmente em relação as arrecadações. É um problema vivido pela União, no Estado e aqui também não é diferente. Há uma queda de receita vertiginosa. O governo federal tem a previsão de fazer a recomposição das perdas e cabe a nós termos a criatividade necessária nesse momento de crise sanitária, precisamos ter muita responsabilidade, o discernimento de adotarmos medidas e precisamos verificar a melhor forma de fazer com que a economia não pare. Os governos precisam agir em sintonia para sairmos de forma conjunta da crise.

Mais Goiás: O senhor, além de ocupar cargo de prefeito, também foi vice-presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM), no mandato passado. Essa articulação com prefeitos, pode dar uma projeção em um futuro projeto político, em 2022?

Issy Quinan: Eu acho que as coisas tem que acontecer de forma natural, eu criei vínculos com diversos municípios goianos, principalmente aqueles que compõem a Região da Estrada de Ferro, eu fiz e estabeleci boas relações políticas, com pessoas que confiam no nosso trabalho. É natural que essas relações sejam mantidas, para num futuro próximo, quem sabe, possa aí apoiar algum projeto ou fazer parte de um projeto que vise ter uma amplitude a nível de estado.