Eleições 2018

Pesquisa Diagnóstico/DM: Caiado venceria no primeiro turno

Segundo levantamento divulgado hoje, disputa em Goiás seria encerrada no primeiro turno. Sondagem reforça números obtidos pelo mesmo instituto há um mês


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 09/07/2018 às 10:06:14

Entre os três principais pré-candidatos, Eliton flutua entre segunda e terceira posição nos dois contextos. Fotos: divulgação/Senado; divulgação/Câmara dos Deputados; Divulgação/Governo de Goiás)
Entre os três principais pré-candidatos, Eliton flutua entre segunda e terceira posição nos dois contextos. Fotos: divulgação/Senado; divulgação/Câmara dos Deputados; Divulgação/Governo de Goiás)

Em Goiás, os dois pré-candidatos da oposição liberal ao tucanato de José Eliton/Marconi Perillo, lideram as intenções de voto da população. Ronaldo Caiado (DEM) continua isolado, com 39,7%, contra 9,5% do emedebista Daniel Vilela e 9% do atual gestor. É o que aponta a pesquisa estimulada Diagnóstico/Diário da Manhã, que entrevistou 1.111 eleitores em um número não revelado de cidades goianas, entre os dias 30/6 e 4/7. A margem de erro é de 3%, para mais ou para menos. O resultado foi divulgado nesta segunda (9/7).

Nesse contexto, Caiado não encontraria dificuldades para encerrar o pleito ainda no primeiro turno, já que teria a maioria absoluta dos votos, excluídos os nulos e brancos, que somam 20,6%. Na sondagem, o democrata obteve 441 da intenções de voto, ao passo em que Vilela, Eliton, Weslei, Kátia e Edson somaram 287. Indecisos representam a situação de 13,9% dos entrevistados. Enquanto isso, na oposição de centro/esquerda, o pré-candidato mais bem colocado é Weslei Garcia (Psol), com 3,1%, contra os 2,2% de Kátia Maria (PT) e 2,1% de Edson Braz (Rede).

O desempenho dos partícipes do pleito já tinha sido registrado pela mesma pesquisa há cerca de um mês, entre os dias 5 e 9 de junho. Na ocasião, a posição dos três principais governáveis era a mesma, embora Caiado estivesse com 41,3% (queda de 1,6 ponto percentual) à frente de Vilela, com 8,7%, e dos 8,3% de Eliton. Os últimos dois, registraram alta respectiva de 0,8% e 0,7%, indicando que dividiram os espólios perdidos pelo líder.

Na segunda metade da tabela de intenções de voto, porém, Kátia Maria, à época com 4,8%, perdeu a liderança para Weslei, que registrava 1,4%. Naquela situação, Sara Mendes ainda era o nome ventilado pela Rede e registrava 1,3%. As perdas de Kátia (2,6%) também foram divididas entre Weslei (+1,7%) e Braz (+0,9%).

O número de nulos/brancos se manteve, o que pode ser interpretado como uma constante insatisfação de eleitores com a política, embora, para os candidatos, também represente um campo cujas ideias podem ser conquistadas até outubro.

Mudança

Na pesquisa espontânea o quadro muda drasticamente. No entanto, Caiado continua isolado na liderança com 18,4%, em desfavor dos 4,6% registrados por Eliton e outros 2,5% de Daniel, que desce para a terceira colocação. Enquanto isso, 58,6% dos entrevistados permanece indeciso ou preferiu não informar a decisão. Nulos/brancos receberam 13,3%.

Nessa perspectiva, eleitores resgataram políticos que estão fora da disputa. Marconi Perillo (PSDB) aparece com 1,8% da intenções e Íris Rezende (MDB), com 0,9%. Maguito vilela (MDB; 0,6%), Weslei (0,4%), Antônio Gomide e Kátia (ambos do PT, 0,3%) e Vanderlan Cardoso (PP, 0,2%) também foram citados.

Metodologia

A pesquisa for registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO), com o protocolo GO 03541/2018, no dia 30 de junho deste ano. 1.111 entrevistas foram realizadas em residências e em fluxo. A empresa contratante foi a UNIGRAF-Unidas Gráficas e Editora Ltda/Diário da Manhã. O nível de confiança é de 95%, com margem de erro de 3% para mais ou para menos. Diagnóstico Pesquisas de Comportamento foi a empresa responsável pela sondagem.

 

Com informações do Jornal Diário da Manhã