INVESTIGAÇÃO

Peritos colhem novos objetos no local em que Danilo foi encontrado morto

Objetos serão periciados as amostras serão cruzadas com o material biológico encontrado no corpo do menino


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 30/07/2020 às 19:34:08

Danilo de Sousa Silva, encontrado morto pelo Corpo de Bombeiros na última segunda-feira (Foto: Redes sociais)
Danilo de Sousa Silva, encontrado morto pelo Corpo de Bombeiros na última segunda-feira (Foto: Redes sociais)

Peritos da Polícia Técnico-Científica recolheram novos objetos no local em que Danilo de Sousa Silva, de 7 anos, foi encontrado morto no último dia 27 de julho, no Parque Santa Rita, em Goiânia. De acordo com a corporação, quatro peritos foram no setor, na manhã desta quinta-feira (30), junto com agentes da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH).

De acordo com o perito Diogo Rodrigues Queiroz, o retorno foi para realizar um trabalho mais minucioso no local pois, no dia em que garoto foi encontrado, as condições de visibilidade estavam precárias para realização do exame pericial. “Após o exame inicial, o Dr Aleixo, perito responsável pelo caso, julgou necessário o retorno para confirmar algumas informações de caráter técnico que foram levantadas no primeiro exame. Além de fazer uma nova varredura por uma área maior que recobria os possíveis trajetos descritos pela vítima e agressor pra buscar vestígios relacionados ao fato”, pontua.

Os objetos que foram encontrados não foram divulgados para não atrapalhar as investigações. Mas Diogo adianta que “foram apreendidos importantes vestígios no local.” Mais cedo, a Polícia Civil (PC) disse que foram recolhidas mais de 20 amostras de DNA e celulares de parentes foram apreendidos. Todos esses materiais, junto com os objetivos recolhidos hoje, serão periciados e os resultados serão confrontados com o material biológico encontrado no corpo do menino.

Relembre o caso Danilo

Danilo desapareceu no último dia 21 de julho. Seis dias depois, um corpo foi encontrado a 100 metros da casa do garoto pelo Corpo de Bombeiros em avanço estado de decomposição. A confirmação o corpo era do garoto foi dada pelo Instituto Médico Legal (IML). O reconhecimento foi possível graças a coleta biométrica e o confronto dos resultados com a Carteira de Identidade do menino.

O corpo de Danilo foi enterrado na última quarta-feira (28) sob forte emoção. Uma tia do menino disse ao Mais Goiás que “a família está destruída, um tentando dar força para o outro. A mãe, coitada, só Deus para cuidar dela.” O menino foi morto afogado e há indícios que também tenha sofrido abuso sexual. Os peritos encontraram fragmentos de lama na cavidade oral do garoto, além de hematomas nos órgãos sexuais do menino.

Num primeiro momento, a investigação foi realizada pela Delegacia de Proteção da Criança e ao Adolescente (DPCA), por causa do desaparecimento. A delegada Ana Elisa Gomes relatou que os pais do menino foram indicados por abandono de incapaz no dia seguinte ao desaparecimento de Danilo.

O caso, então, foi repassado para a DIH. Uma força-tarefa foi criada para apurar o caso. Segundo a delegacia, são 20 policiais civis que estão trabalhando no caso com o colhimento de diversos depoimentos. Ainda não há um suspeito definido ou ainda confirmação do abuso sexual.