Samuel straioto
Do Mais Goiás

Pelo menos 18 vereadores de Goiânia podem mudar de sigla durante a janela partidária

Parlamentares poderão migrar de legenda sem prejuízo do mandato

A Justiça eleitoral indeferiu, na noite de sábado (31), a candidatura da vereadora Dra. Cristina (PL) à Prefeitura de Goiânia.(Foto: Alberto Maia/ Câmara Municipal)

Na terça-feira da próxima semana (4/2), a Câmara Municipal de Goiânia retomará as atividades em plenário. Nesta reta final do recesso dos trabalhos há intensa movimentação político-partidária visando o processo eleitoral de outubro. Pelo menos 18 parlamentares podem mudar de sigla para atender a estratégias para as Eleições de 2020. Há legendas que devem perder vários integrantes, outras que ficarão sem representatividade no Poder Legislativo Municipal.

Desde a reforma eleitoral de 2015, há a possibilidade de uma desfiliação partidária injustificada. Vereadores no exercício do cargo podem trocar de legenda nos 30 dias anteriores ao último do prazo para filiação partidária, que ocorre seis meses antes do pleito, ou seja, até o início de abril. Vários vereadores poderão mudar de sigla, durante a “janela”, sem prejuízo do mandato.

Governo

O DEM, partido do governador Ronaldo Caiado, também está em movimentações na Câmara Municipal de Goiânia. Na última semana foi cogitada a transferência do presidente da Casa, Romário Policarpo – que hoje está no Patriota – para o DEM. Não está descartada a filiação de pelos menos outros dois vereadores à legenda. Dr. Gian foi um dos parlamentares convidados para ingressar no DEM. Atualmente ele está no PSB.

Se por um lado, o DEM deve ganhar vereadores, do outro pode perder. O vereador Paulo Daher, único parlamentar filiado à legenda, aguarda as movimentações visando formação de chapa competitiva para decidir a permanência dele na sigla. Paulo Daher pode se filiar junto ao PMN, partido que em Goiânia é presidido pelo pai dele, que tem o mesmo nome.

Ganha

O MDB deve ser o partido a receber mais parlamentares no período de janela. A legenda atualmente tem três vereadores e pode ultrapassar o número de dez. Se o prefeito Iris Rezende decidir por ser candidato à reeleição, há uma tendência de que mais parlamentares sigam para o MDB.  A avaliação é que Iris seja um “puxador” de votos.

Perde

O PSDB pode perder os dois vereadores  existentes. Dra Cristina é pré-candidata a prefeita de Goiânia, ela já anunciou que se filiará junto ao Partido Liberal (PL). O outro parlamentar do PSDB é Anselmo Pereira, que também pode deixar a legenda. É possível que ele volte ao MDB, ao qual já esteve filiado no passado, mas por falta de competitividade, Anselmo preferiu mudar de partido. O mesmo filme pode se repetir. Caso o PSDB não se organize e se torne difícil para eleição de parlamentares, o parlamentar considera a mudança de legenda.

Outro partido que perderá vereadores é o PV. Álvaro da Universo e Gustavo Cruvinel deixarão a legenda. Os dois parlamentares ainda não definiram futuro, mas receberam convite para filiação junto ao MDB. O PV ficará sem nenhum vereador na Câmara, neste restante de mandato.

Veja quem pode mudar de partido:

Anselmo Pereira: pode deixar o PSDB e retornar ao MDB;

Álvaro da Universo: deixará o PV, mas ainda não definiu legenda;

Carlin Café: deixará o Cidadania (antigo PPS) e deve ingressar em um partido da base do prefeito Iris Rezende. Recebeu convite para filiação ao MDB;

Denício Trindade: está no Solidariedade, mas recebeu convite para regressar ao MDB;

Divino Rodrigues: está no PROS, mas avalia competitividade da chapa a ser formada para as eleições de outubro;

Dra Cristina: deixará o PSDB e vai se filiar ao PL. É pré-candidata a prefeita de Goiânia. Sem condições de disputar eleições no PSDB, a vereadora optou por deixar o partido;

Dr Gian: está no PSB, mas cogita mudança de partido. Parlamentar avalia competitividade na chapa; Pode ir para o DEM.

Dr Paulo Daher: está no DEM, mas pode trocar a legenda pelo PMN, partido que é presidido em Goiânia, pelo pai dele, que leva o mesmo nome;

Felizberto Tavares: deixará o PL e pretende disputar eleição a prefeito de Goiânia pelo PRTB;

Gustavo Cruvinel: Deixará o PV, mas ainda não definiu o futuro partido.

Izídio Alves: está no PL, mas foi convidado para retornar ao MDB;

Kleybe Morais: está no Democracia Cristã (DC), mas deve ir para o MDB. Vereador se manifestou em prestação de contas;

Lucas Kitão: está no PSL, recebeu convite de outras legendas. Indefinição no PSL pode levá-lo a outro partido;

Oseias Varão: está sem partido desde que saiu do PSB. Recebeu convite para o MDB, mas ainda não definiu futuro partidário;

Paulo Magalhães: está no PSD, mas recebeu convite para filiação ao MDB. Vereador não descarta filiação ao DEM. Parlamentar pode não disputar reeleição e lançar o filho, Paulo Henrique Magalhães, como candidato a vereador;

Romário Policarpo: Está no Patriota e pode ir para o DEM. Num primeiro momento, presidente negou a possível transferência.

Sabrina Garcez: está sem partido, desde que saiu do PTB. Parlamentar recebeu convites de várias legendas, inclusive do MDB, mesmo fazendo oposição ao prefeito Iris Rezende;

Tiãozinho Porto: a princípio continua no PROS, mas recebeu convite para filiação ao MDB. Formação de chapa no PROS pesará na definição;

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal www.EMAISGOIAS.com.br pelo WhatsApp (62) 98272-3896 ou entre em contato pelo (62) 3259-6500