Fast food

Pela primeira vez, rede de TV entra em fábrica do McDonald’s

A empresa mostra processo de fabricação dos hambúrgueres




//
//

O hambúrguer do McDonald’s é feito de de carne de minhoca? O Nuggets é um “lodo rosa” de restos do frango? Essas e outras dúvidas acompanham os consumidores e críticos da gigante de fast food há mais de 70 anos. Por isso, a rede resolveu pela primeira vez na história abrir as portas de uma de suas fábricas, na cidade de Fresno, na Califórnia para que uma empresa de TV gravasse imagens da produção.

Apresentar o processo de fabricação dos alimentos é uma estratégia de marketing e comunicação da empresa lançada no último fim de semana nos Estados Unidos, Canadá e Austrália. Chamada de “Our Food. Your Questions”, a iniciativa ouviu as questões de alguns consumidores e as respondeu com uma visita guiada pelos profissionais responsáveis da fábrica.

Além dos vídeos institucionais publicados em sites e redes sociais, o Mc Donald’s convidou também um repórter do programa Good Morning America, da rede ABC, para entrar no local. É a primeira vez que uma equipe da mídia desvenda os bastidores do mundo de Ronald McDonald.

As primeiras imagens mostram quilos de carne sendo separados, moídos e transformados em discos. Segundo eles, são processadas mais de 180 kg de carne vermelha por dia que dão origem aos hambúrgueres que são, portanto, 100% de carne de vaca. Ou seja, nada de minhoca e outras coisas mais no recheio do lanche.”Não queremos ligar esta visita aos negócios, mas queremos garantir que nossos consumidores saibam exatamente a história e de onde vem a comida do McDonald’s”, explica Rickette Collins, diretora de qualidade da companhia à rede de TV americana.

 

Nos vídeos corporativos e mensagens nas redes sociais, a empresa discute ainda questões como “a carne de vocês têm vermes?”. A resposta é: “não, que nojo! Fim da história”.

Sobre os nuggets, a firma nega que seja feito do “lodo rosa” que teve a imagem veiculada nas redes. Na verdade, a foto representa um composto químico chamado azodicarbonamide, que por anos foi usado nos hambúrgueres e é comum em fabricação de pães e bolos.

“O azodicarbonamide tem um uso variado, desde bolos até produtos não comestíveis, como tapetes de ioga, por isso muita gente pensava que tinha plástico na nossa comida. Não é este o caso. Pense em outros componentes como o sal. Aquele que usamos na cozinha é uma variação do que jogamos na calçada para derreter o gelo da neve. São exemplos de coisas que podem ser usadas de diferentes formas”, explicou Collins.

(Com o Terra)

Tópicos