Eleições 2014

Peemedebista diz que campanha para legislativo ficará R$ em 500 mil

Em entrevista ao MAIS GOIÁS, o parlamentar disse que espera ter ajuda de Iris Rezende (PMDB) para conseguir sua reeleição.


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 09/07/2014 às 20:27:58


O deputado estadual Paulo Cezar (PMDB), segundo vice-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, será um dos candidatos à reeleição na disputa deste ano. Em entrevista ao MAIS GOIÁS, na tarde desta quarta-feira, o parlamentar disse que espera ter ajuda de Iris Rezende (PMDB) para conseguir sua reeleição.

E ajuda significa, principalmente, estrutura de campanha.

Os peemedebistas esperam que o candidato a governador pelo PMDB ofereça alguma forma de ajuda de custo tendo em vista o início da campanha, que começou no último final de semana.

“Iris nunca deu um litro de gasolina para mim. Deu, sim, 50 mil santinhos da última vez, mas estrutura de campanha, não”, revela o deputado.

Paulo Cezar explica ao MAIS GOIÁS que uma campanha para deputado costuma ser dispendiosa, chegando a alguns milhões. “A minha vai ficar em torno de R$ 500 mil”, revela.

O candidato, entretanto, ainda não sabe exatamente o custo e como pretende colocar em prática sua campanha para se manter na Assembleia.

É que Paulo Cezar aguarda reunião da executiva do PMDB para saber como será a campanha integrada com a chapa majoritária.

“Uma campanha de reeleição é diferente de quem vai tentar pela primeira vez. Existe o desgaste natural. Isso precisa ser avaliado”, explica.

O deputado diz que Iris deve pensar nos deputados. “Ele tem de fazer, é obrigação dele ajudar o deputado, o prefeito. Tem que viabilizar carro para rodar, estrutura. A responsabilidade é essa: para carregar o nome dele. Até porque ele não tem condições de ir em todo lugar do estado. Vai precisar da gente”.

FRIBOI

Paulo Cezar foi um dos principais articuladores da pré-candidatura de Júnior Friboi.

Durante os meses de abril e maio, ele atuou com diversos peemedebistas tendo em vista a disputa de outubro.

O deputado nega que Friboi tenha garantido estrutura e recursos de campanha para seu grupo, mas acredita que terá alguma forma de ajuda do empresário. “Nunca existiu efetivamente promessa de nada. Mas Friboi continua sendo companheiro”.

O peemedebista precisa obter entre 35 e 45 mil votos para ser eleito. Em 2010, a na disputa pela Assembleia, ele teve 42.747 votos.