Maioria dos deputados de Goiás apoia PEC do Voto Impresso

Pauta do Voto Impresso deve ir a plenário nesta terça-feira (10)

Plenário da Câmara
Apesar de Pacheco afirmar não ter visto apoio à medida entre senadores, ele se comprometeu com Lira a levar proposta a votação (Foto: Câmara dos Deputados - Divulgação)

A PEC do Voto Impresso, a ser votada nesta terça-feira (10) em Brasília, tem apoio de nove dos 17 deputados de Goiás que compõem a bancada do estado na Câmara dos Deputados. A Proposta de Emenda Constitucional é uma bandeira fortemente pautada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e que mobilizou seus apoiadores numa manifestação ocorrida no início deste mês de agosto.

De acordo com levantamento feito por um veículo local, nove parlamentares de Goiás afirmaram ser a favor da PEC ou ter posiciomantos públicos a respeito da pauta. Se manifestaram a favor da proposta os deputados Francisco Jr. (PSD), Glaustin da Fokus (PSC), João Campos (Republicanos), José Mário (DEM), Zacharias Calil (DEM), Vitor Hugo (PSL) e Professor Alcides (PP). Já Mágda Mofatto (PL) e Delegado Waldir (PSL) ainda não confirmaram suas posições, mas têm tendências favoráveis e contrárias, respectivamente.

Se manifestaram contra a PEC os deputados Elias Vaz (PSB), José Nelto (Podemos), Rubens Otoni (PT) e Lucas Vergílio (SD).

PEC do Voto Impresso é bandeira de mobilização de apoiadores (Foto: Agência Brasil)

A matéria irá a plenário nesta terça-feira (10), após ser rejeitada pela Comissão Especial. Se aprovada, torna obrigatória a impressão de um tipo de cédula que será impressa pela urna eletrônica e depositada num recipiente, durante as votações. O presidente Jair Bolsonaro é um forte apoiador da pauta. Segundo ele, há a necessidade do voto impresso para se evitar “fraudes nas urnas eletrônicas” o que, de acordo com o mandatário, já aconteceu. No entanto, Bolsonaro não chegou a apresentar provas das denúncias de fraude.

Comissão Especial rejeitou Voto Impresso

No final da última semana, a Comissão Especial da Câmara dos Deputados rejeitou a Proposta de Emenda Constitucional. Foram 22 votos contra 11, dos que era a favor. Para o relator, deputado Raul Henry (MDB), não há justificativa para a pauta.

“A população brasileira, depois de 25 anos da utilização da urna eletrônica, reconhece e testemunha a conquista que ela representa. Diferentemente do período em que o voto era em papel, não há nenhuma confirmação de uma única fraude nesse período”, concluiu o parlamentar.

Resultado da votação será respeitado, diz Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), afirmou ontem (9) que o resultado da votação da PEC que torna obrigatório o voto impresso será respeitado, seja ele qual for. Ele acrescentou que teve a garantia de que o presidente da República, Jair Bolsonaro, vai respeitar a decisão da Casa.

“É a decisão mais acertada [levar para o Plenário] e Bolsonaro me garantiu que respeitaria o resultado do Plenário. Eu confio na palavra do presidente da República ao presidente da Câmara.”, adiantou.