Da Redação
Do Mais Goiás

PC investiga participação de servidores do Detran em fraudes de emplacamentos

Uma pessoa foi presa por posse irregular de arma de fogo. estão sendo cumpridos ainda 31 mandados de busca e apreensão

PC investiga participação de servidores do Detran em fraudes de emplacamentos
(Foto: Divulgação PC)

Na manhã desta terça-feira (29) a Delegacia Estadual de Combate à Corrupção (Deccor) realiza uma operação que investiga a participação de servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) em um suposto esquema de fraude no emplacamento de veículos em Goiás.

Na Operação Colludium estão sendo cumpridos 31 mandados de busca e apreensão na sede do Detran-GO, em empresas de fabricação e estampagem de placas veiculares e nas residências dos investigados. Uma pessoa foi presa por posse irregular de arma de fogo.

Segundo a PC, foram apreendidos documentos, celulares e computadores. 24 pessoas jurídicas e nove pessoas físicas são investigadas. De acordo com a PC, as investigações tiveram início em fevereiro e apontam para a existência de dois grupos distintos, um que teria atuado até 2018 e outro que estaria operando atualmente.

Ainda de acordo com a PC, empresários do ramo de fabricação e estampagem de placas veiculares teriam se unido “formando um verdadeiro cartel”, empregando, para isso, várias empresas em nomes de “laranjas” e familiares. A formação de cartel se deu na prestação de serviço de estampagem de placas veiculares.

A operação identificou que membros desse grupo teriam o costume de cobrar a quantia de R$ 70 mil de empresários interessados em credenciar suas empresas no ramo de estampagem, contando com a participação de servidores do departamento de trânsito.

Posicionamento

Através de nota divulgada, o Detran-GO afirma que “apoia e tem colaborado continuamente com o trabalho da Polícia Civil , por meio da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap)”.

“A autarquia se coloca à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos necessários em relação aos fatos investigados contra servidores”, conclui o Detran-GO.