Acusação

PC investiga motorista de aplicativo por roubo e estupro em Goiânia

Passageira acusa homem de 25 anos de tê-la dopado e violentado sexualmente na madrugada do último dia 31/7; suspeito está preso e nega crime e fala em relação consensual


Fábio Alves
Do Mais Goiás | Em: 02/08/2019 às 11:50:57

Michael Janovick é suspeito de agredir e tentar matar a própria mãe, no setor Nova Suíça. Caso foi registrado na Deam. (Foto: reprodução/PC)
Michael Janovick é suspeito de agredir e tentar matar a própria mãe, no setor Nova Suíça. Caso foi registrado na Deam. (Foto: reprodução/PC)

A Polícia Civil (PC) investiga a denúncia de estupro contra um motorista do aplicativo 99 Pop em Goiânia. Um homem de 25 anos, preso na quarta-feira (31), foi acusado de cometer o crime por uma passageira. A mulher de 22 anos afirmou à PC que foi violentada sexualmente e que suspeita de ter sido dopada pelo motorista. O homem nega a versão e diz que houve relação consensual.

Na madrugada do dia 31 de julho, duas mulheres acionaram um serviço de transporte via aplicativo de celular. Uma delas foi deixada em casa. A outra seguiu viagem. Segundo informação da vítima à Polícia Civil, o motorista teria dado à mulher uma bebida que lhe causou sonolência. Ela relata que foi violentada e acordou em sua residência, trancada pelo lado de fora, sem o celular.

A Polícia Militar foi acionada e prendeu o motorista de aplicativo, que estava com o celular da mulher. O homem já respondeu processo criminal por roubo e receptação e foi preso em flagrante. Na versão do motorista, relatado por sua defesa, houve relação sexual consentida entre os dois em um motel no Setor São Francisco e a mulher teria esquecido o celular dentro de seu carro.

O caso é de responsabilidade da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), que classifica a investigação como complexa, uma vez que são duas versões opostas. A Polícia Civil explicou à reportagem que a palavra da vítima tem grande peso nesse tipo de denúncia e que o caso é delicado.

O Mais Goiás entrou em contato com a empresa 99 Pop, plataforma usada pelo motorista, segundo informações da Polícia Civil e da defesa do suspeito, para identificar os critérios para o cadastro de motoristas. A redação aguarda retorno.