Fraude fiscal

PC deflagra operação contra sonegação fiscal no comércio de medicamentos de alto custo em Goiânia

Polícia Civil investiga fraudes na emissão de notas fiscais de uma grande empresa de remédios em Goiás


Fabricio Moretti

Do Mais Goiás | Em: 14/02/2019 às 16:47:16


Policiais Civis em investigação na Operação Fake Note (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Policiais Civis em investigação na Operação Fake Note (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Na manhã desta quinta-feira (14), a Polícia Civil (PC) deflagrou a operação Fake Note, que tem como alvo a rede de comercialização de medicamentos de alto custo em Goiânia. A polícia investiga fraudes referente a emissão de notas fiscais falsas, emitidas por um sistema paralelo ao do Fisco Estadual.

As investigações da Operação Fake Note duraram em torno de um ano, envolvendo a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), com o apoio de policiais da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) em parceria com a Secretaria da Fazenda (Sefaz).

O delegado da Dot responsável pelo caso, Marcelo Aires, diz que as fraudes eram detalhadas e contavam até com QR Code. “Detectamos fraudes por parte de uma grande empresa de medicamentos de alto custo. O cliente adquiria o medicamento, o caixa emitia uma nota fiscal idêntica à verdadeira, inclusive com QR Code e CNPJ, mas a emissão era realizada por um sistema paralelo ao da Sefaz. Assim, parte das vendas não eram contabilizadas e um percentual era desviado”.

(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Aires conta que foram cumpridos três mandados de busca e apreensão nas sedes da empresa farmacêutica. “Foram apreendidos servidores, sistema de computação, banco de dados, entre outros. O fisco está realizando uma auditoria para somar o prejuízo total gerado aos cofres públicos. Estima-se que pode chegar a mais de R$ 10 milhões de reais”, afirma o delegado.

Ainda na tarde desta quinta-feira, estão sendo ouvidos na Dot os gerentes da empresa. Segundo o delegado, o resultado final da perícia contábil da Sefaz irá detectar o somatório de prejuízos. “Haverá o indiciamento por crime de sonegação fiscal, além das multas e impostos que deverão ser pagas ao Fisco”, conclui Marcelo aires.